PADRE JOSÉ MAIA

Homens, sede Homens!

Foi exatamente nestes termos que o Papa Paulo VI se dirigiu aos peregrinos de Fátima, quando aí se deslocou em peregrinação em 1967!

E acrescentou: “sede bons e cordatos; abri-vos à consideração do bem total do mundo, sede magnânimos” !

Já nessa altura, a mensagem constituiu um enorme desafio aos HOMENS para valorizarem a HUMANIDADE, tantas eram já na altura as DESUMANIDADES praticadas!

Não sei porquê, mas ao eleger um tema para a crónica deste mês, logo me veio à mente esta mensagem de Paulo VI, talvez por estarmos todos em estado de choque pelas imensas desumanidades que estão a fazer desaguar em vários países europeus centenas de milhares de refugiados, nuns casos, e imigrantes, noutros, TODOS a pedir auxílio à Europa que, apesar de todas as crises, ainda é um oásis de paz!

Mais recentemente, mas com o mesmo tom de denúncia de Paulo VI, em Fátima, o Papa Francisco, em Lampedusa, apelou aos Governos das Nações, pedindo-lhes que não deixassem transformar o Mediterrâneo num cemitério!

Porém, a tragédia vai agora entrando pela Europa, através de vários países, tendo levado a chanceler Merkel a disponibilizar a Alemanha para, à sua conta, acolher 800 mil refugiados, ao mesmo tempo que outros Governantes começam agora (mais vale tarde que nunca!) a dar sinais de entreajuda internacional na resposta a esta CAUSA HUMANITÁRIA! É de justiça salientar também iniciativas de igual solidariedade que por cá se vão desenvolvendo, tanto a nível do Governo como de outras Entidades Públicas e Particulares, de Igrejas e também de gestos de pessoas singulares e famílias, que demonstram que a HUMANIDADE ainda não morreu e se vai traduzindo em gestos de SOLIDARIEDADE.

Porém, a foto da criança que apareceu morta num areal do mar Egeu constituirá para TODOS um crime sem perdão!

Pe. José Maia

 

Data de introdução: 2015-09-14



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...