ENTRE A CNIS E A FRENTE DE SINDICATOS DA UGT

Concluído o processo negocial de um novo Contrato Colectivo de Trabalho

A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e a Frente de Sindicatos da União Geral de Trabalhadores (UGT) concluíram no passado dia 19 de Abril o processo negocial de um novo Contrato Colectivo de Trabalho.

Esta convenção vem substituir o instrumento de regulamentação colectiva de trabalho que vigorava desde 2001 e, para além de conter tabelas salariais respeitantes ao ano de 2004 e de 2005, revê e actualiza as condições de prestação de trabalho num sector que integra cerca de 70.000 trabalhadores e de 2000 instituições particulares de solidariedade social.

A CNIS, que como é sabido não assume a natureza de associação patronal, saúda as organizações sindicais e os respectivos representantes na comissão negociadora, consciente do esforço desenvolvido e certa de ter contribuído activamente para proporcionar aos trabalhadores das instituições suas associadas, de forma sustentada, melhores condições de trabalho, quer ao nível da justiça, designadamente retributiva, quer no plano da estabilidade do emprego, do desenvolvimento pessoal e da formação profissional.

Porto, 20 de Abril de 2005

O Presidente da CNIS
Cón. Francisco Crespo

 

Data de introdução: 2005-04-29



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...