TERCEIRA IDADE

Rede nacional de Universidades Seniores

As cerca de 160 universidades portuguesas da Terceira Idade vão lançar segunda-feira, no Porto, o projecto "Rutis", uma rede nacional para favorecer a aproximação e multiplicação destas instituições.

Paula Guerra, da Universidade Sénior de Almeirim, entidade dinamizadora do processo, afirmou que há vantagens do "Rutis" na uniformização do ensino de várias disciplinas e na promoção de iniciativas comuns. Estimular a criação de mais universidades seniores em todo o país, fornecendo o conhecimento necessário e aconselhamento é outro dos objectivos da rede, segundo a fonte.

Teresa Rodrigues, directora da Universidade Intercultural, uma das oito que opera no Porto, salientou, por seu lado, o papel "importante" do projecto na mobilizando dos alunos seniores para actividades extra-curriculares.

A maioria dos alunos das universidades seniores são reformados que procuram uma formação em áreas do seu agrado, mas "adormecidas" pelas contingências da vida activa. Os monitores são, em geral, pessoas com formação superior, algumas leccionando gratuitamente.

Universidades deste tipo proliferam um pouco por todo o país, registando maior adesão nas grandes cidades, com um número de alunos que varia entre os 80 e os 600, de acordo com estimativas das fontes contactadas. Embora algumas beneficiem de apoios públicos, a maioria subsiste das "propinas" pagas pelos alunos. A disciplinas de informática, pintura ou história das cidades são das mais procuradas nas universidades seniores.

 

Data de introdução: 2005-01-20



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...