ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DAS LAMEIRAS

Sinal + Europa

A AML – Associação de Moradores das Lameiras, o Instituto Português da Juventude e a JASEC – Jovens Animadores SocioEducativos e Culturais – Plataforma Juvenil da AML promovem esta sexta-feira, dia 27, uma conferência de imprensa para apresentação pública do projecto «Sinal + Europa».
O encontro com os jornalistas tem lugar às 18.00 horas na sala nobre do Centro Social e Comunitário da Associação de Moradores das Lameiras, na cidade de Vila Nova de Famalicão, com a presença de Jorge Faria, Presidente da Direcção da AML, Mário Passos, Delegado Regional do IPJ, Abraão Costa da JASEC e outras entidades ligadas à iniciativa.

Este projecto tem como principais objectivos desenvolver os valores, tradições e realidades europeias junto dos mais novos, e combater os problemáticos índices de iliteracia e analfabetismo, bem como problemas de delinquência juvenil do grupo alvo, a partir de um novo programa de ocupação de tempos livres alternativo, orientado para a as suas situações específicas. 

Será criado um Laboratório de Jogos, o Atelier Mundo, Fórum de debate e discussão para crianças e adolescentes e serão ainda desenvolvidos vários Worshop’s Temáticos, Campos de Trabalho, Acções de Formação. No final está previsto o lançamento de um livro temático sobre os jogos e temáticas inventados e recriados a partir do “Laboratório de Jogos” como forma de divulgar esta experiência junto de outros agentes educativos.

A iniciativa tem por finalidade atingir uma população alvo de mais de 1000 crianças, adolescentes e jovens ao longo dos próximos dez meses e é da responsabilidade das entidades acima citadas. O projecto é apoiado pelo Programa Juventude da União Europeia que tem no IPJ a sua agência nacional representante.

 

Data de introdução: 2005-05-29



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...