Como se processa a sucessão do Papa

O Papa João Paulo II começou a preparar a sua sucessão em 1996. A Constituição Apostólica Universi Dominici define todo o processo e estabelece que o próximo Papa será eleito por voto secreto e por maioria de dois terços dos cardeais eleitores. 

João Paulo II preparou sucessão e exéquias

As regras para a eleição do Papa constam da Constituição Apostólica Universi Dominici (Todo o Rebanho do Senhor), revista e actualizada por João Paulo II no 18º ano do seu pontificado.

Relativamente a eleições anteriores, João Paulo II decidiu que o seu sucessor será escolhido por voto secreto e não por aclamação ou por compromisso. A escolha por aclamação permitia que os cardeais eleitores, na qualidade de inspirados pelo Espírito Santo, proclamassem, em voz alta, livre e espontaneamente, o futuro Papa.

No método por compromisso, os cardeais eleitores podiam confiar a alguns de entre si o poder da escolha do Papa.

A Constituição Apostólica enumera também como serão processadas as suas exéquias. 

Para mais detalhes, ver dossier do jornal Público

 

Data de introdução: 2005-04-20



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...