BEJA

Misericórdia inaugurou Centro Infantil

De portas abertas há um mês e meio, o Centro Infantil da Santa Casa da Misericórdia de Beja foi oficialmente inaugurado dia 26 de Outubro, em cerimónia presidida pelo ministro da Segurança Social, Fernando Negrão. 

A nova valência, que se desdobra em creche e jardim de infância, está instalada no n.º 31 da Rua Alexandre Herculano, edifício solarengo adquirido pela instituição há seis anos, tendo representado um investimento total, entre compra e recuperação, na ordem dos 750 mil euros, coberto em grande medida por meios financeiros próprios. O único apoio estatal foi para as obras da creche e respectivo equipamento, comparticipados em 60 por cento. 

Com capacidade para 52 crianças, o novo equipamento já acolhe actualmente 47, sendo 40 delas na creche, onde a lotação já esgotou. O próximo passo, referiu o provedor da instituição, António Chícharo, ao Diário do Alentejo, é “chegar até às 100 crianças, pelo menos”, alargamento que seria bem recebido pelas mães bejenses, a julgar pelo volume de inscrições – 120 logo após a sua abertura, e durante apenas “uma tarde e uma manhã”. 

“A ideia que nós temos, e somos apoiados nessa ideia pela Segurança Social, é que existe grande carência destas unidades aqui na cidade de Beja. Porque estamos também a falar nos arredores. Há muita gente que trabalha em Beja e que não tem sítio para deixar as crianças enquanto está a trabalhar”, explicou o empresário bejense, adiantando que, caso se concretize o alargamento da capacidade, o número de postos de trabalho no centro infantil, actualmente 17, “pode chegar aos 30”. 

O provedor explicou também que as tabelas oficiais de preços, em função do rendimento das famílias, serão cumpridas no primeiro ano de funcionamento do Centro Infantil, sendo que “à medida que os recursos financeiros da Santa Casa da Misericórdia de Beja comecem a ter outra dimensão, pensamos em diminuir essas tabelas porque sabemos que há pessoas que não puseram cá os seus filhos porque não tinham disponibilidade financeira para pagar”.

 

Data de introdução: 2004-11-18



















editorial

Confiança e resiliência

(...) Além disso, há um Estado que muito exige das Instituições e facilmente se demite das suas obrigações. Um Estado Social não pode transferir responsabilidades para as Instituições e lavar as mãos quanto...

Não há inqueritos válidos.

opinião

José Leirião

A necessidade de um salário mínimo decente
Os salários, incluindo os salários mínimos são um elemento muito importante da economia social de mercado praticada na União Europeia. Importantes disparidades permanecem...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Muitos milhões de euros a caminho
O País tem andado a ouvir todo um conjunto de ideias com vista a serem aproveitados os muitos milhões de euros provenientes da Europa. Sobre o que é preciso fazer as coisas parecem...