CNIS E SANTANDER ASSINAM PROTOCOLO

Serviços financeiros em condições especiais para as IPSS associadas e seus trabalhadores

A CNIS e o Santander assinaram um protocolo em que a instituição bancária disponibiliza nas “condições máximas” diversos serviços bancários não apenas às instituições associadas, mas igualmente a todos os seus trabalhadores.
O ato formal da assinatura, que decorreu na sede da CNIS, no Porto, foi coroado com o anúncio, por parte de Miguel Von Hafe, administrador do Santander, da doação de 5.000 euros à CNIS para compra de equipamentos de proteção individual e higienização, a distribuir pelas instituições associadas.
O protocolo assinado, que, no fundo, são dois, facilita o acesso aos mais variados serviços bancários disponibilizados no mercado pelo Santander às IPSS associadas da CNIS e a todos os seus colaboradores.
Miguel Von Hafe, administrador do Santander, sublinhou “a satisfação” pela doação dos 5.000 euros e explicou o âmbito dos dois protocolos firmados: “Um dos protocolos tem condições especiais em alguns produtos e serviços financeiros ajustados ao tipo de entidades associadas da CNIS. Falamos do factoring, do confirming, dos terminais de pagamento automático, de questões relacionadas com recuperação e reabilitação de edificado urbano e de leasing automóvel, outras situações do interesse das entidades associadas da CNIS. O outro protocolo é para os colaboradores da CNIS e de todas as instituições associadas, que terão acesso, em condições especiais, a produtos e serviços típicos dos clientes particulares, como o acesso a cartões, crédito à habitação, crédito pessoal, netbanco e crédito automóvel, entre muitos outros. O objetivo é aproveitar este guarda-chuva da relação que o banco tem com a CNIS e proporcionar às suas mais de três mil associadas e também aos seus milhares de colaboradores condições especiais de acesso a produtos e serviços financeiros”.
Toda a rede do Santander vai ter conhecimento destes protocolos, pelo que os interessados podem dirigir-se a um qualquer balcão e facilmente os funcionários identificarão o protocolo de que se trata.

 

Data de introdução: 2020-06-17



















editorial

Olhando o presente perspetivando o futuro

Nesta "estação de pandemia" parece estarmos em descensão, reconquistando, pouco a pouco, uma "nova normalidade". 

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Pandemia e tensões políticas
É hoje evidente que, para além das suas consequências sanitárias, o chamado novo coronavírus está a provocar, um pouco por toda a parte, inegáveis...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Três aspetos positivos da crise e seis pontos a atender para o futuro
Sobre os últimos meses e da forma como o País e as autoridades públicas reagiram à pandemia retiro três aspetos positivos. O primeiro tem a ver com o elevado nível...