REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

Equipa da CNIS esteve a «Refletir, Construir e Partilhar» com as IPSS insulares

No âmbito do previsto no Programa de Ação 2019, uma equipa da CNIS, em estreita colaboração com a União das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UIPSS) da Madeira, promoveu a terceira edição da ação «Refletir, Construir, Partilhar – projeto de reflexão sobre temas determinantes para o exercício da missão das IPSS».
A comitiva da CNIS, que esteve na Madeira nos dias 25 e 26 de novembro, começou por ter uma reunião com a Direção da UIPSS Madeira, onde foi possível refletir sobre o estado da Cooperação na Região Autónoma da Madeira (RAM), apreender as particularidades do seu funcionamento e as dificuldades sentidas pelas instituições insulares.
Nas instalações da Escola da Associação Promotora do Ensino Livre (APEL), no Funchal, com a participação de cerca de 50 representantes de instituições madeirenses, realizou-se uma sessão de trabalho subordinada ao tema «Identidade, Autonomia e Sustentabilidade das IPSS», com o objetivo de refletir acerca da importância desta trilogia para o exercício da missão das instituições sociais.
Sendo objetivo desta deslocação conhecer a realidade da Cooperação na RAM e promover a articulação interinstitucional no Sector Social e Solidário, uma comitiva da CNIS e da UIPSS Madeira foi recebida pela secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania, Augusta Aguiar, tendo sido partilhadas por estas entidades as preocupações e desafios sentidos ao nível da Cooperação, saindo reforçada a promessa de um trabalho em rede.
Com intuito de sentir de perto o trabalho desenvolvido pelas instituições, foram ainda realizadas visitas a duas associadas, a Santa Casa da Misericórdia do Funchal e a Fundação de Nossa Senhora da Conceição do Funchal.
A equipa da CNIS era constituída pelo vogal da Direção da CNIS, padre José Baptista, pela assessora da Direção para a área da Cooperação, Filomena Bordalo, e ainda por Mafalda Jesus, do Departamento Técnico.

 

Data de introdução: 2019-12-05



















editorial

Olhando o presente perspetivando o futuro

Nesta "estação de pandemia" parece estarmos em descensão, reconquistando, pouco a pouco, uma "nova normalidade". 

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Pandemia e tensões políticas
É hoje evidente que, para além das suas consequências sanitárias, o chamado novo coronavírus está a provocar, um pouco por toda a parte, inegáveis...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Três aspetos positivos da crise e seis pontos a atender para o futuro
Sobre os últimos meses e da forma como o País e as autoridades públicas reagiram à pandemia retiro três aspetos positivos. O primeiro tem a ver com o elevado nível...