VI CONGRESSO CNIS, 7 E 8 DE JUNHO, VISEU

Dois dias para refletir e debater «As IPSS e as Políticas Sociais»

É já nos próximos dias 7 e 8 de junho que a CNIS vai realizar o seu VI Congresso, no auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu, neste ano de retoma das sessões presenciais, e que tem por mote «As IPSS nas Políticas Sociais».
Após mais uma provação que foi a pandemia de Covid-19, em que, uma vez mais, as IPSS estiveram uma vez mais na linha da frente do combate, a situação de muitas instituições não é das melhores. Pior é que o que se avizinha (leia-se, Orçamento do Estado 2022) não são bons ventos. Por isso, torna-se cada vez mais necessário e urgente discutir o Sector Social Solidário, o papel das IPSS como pilar do Estado Social.
Assim, durante dois dias, a CNIS reúne um conjunto de personalidades bastante habilitadas para abordarem as temáticas propostas. A saber: «O Pilar Europeu dos Direitos Sociais»; «O triângulo da Cooperação: Poder Central, Poder Local e o Sector Social e Solidário»; «Modelos de regulação para o Sector Social e Solidário»; «A Cooperação em ação – práticas inovadoras»; «Desafios e constrangimentos na relação das IPSS com o Estado». Os dois dias de trabalhos incluem ainda um outro conjunto de iniciativas que, tal como o programa completo, pode ser consultado AQUI.

O objetivo da CNIS é que os dias 7 e 8 de junho sejam dois dias de reflexão e debate para que as conclusões possam ajudar o Sector Social Solidário na sua relação com o Estado e na implementação das políticas sociais.
Nesse sentido, quantos mais contributos houver, melhor será a reflexão e maior será o debate. Inscrições podem ser efetuadas AQUI.

 

Data de introdução: 2022-05-24



















editorial

Novos passos na Cooperação

Com a assunção por parte do Estado das comparticipações familiares das crianças do 1º e 2º escalão, já cerca de 50.000 crianças tinham Creche gratuita. Entretanto, a Lei nº 2/2022, de 3 de janeiro, determina...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

Trabalho digno
O governo apresentou no Parlamento um diploma que define um conjunto de novas regras para regular o mercado de trabalho e intitulou esse conjunto como a Agenda para o Trabalho Digno.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (IV)
Continuando na senda das reflexões anteriores, conheçamos, agora, o que pensa o Papa Francisco, na sua Carta Encíclica Fratelli Tutti, sobre a importância da política...