RITA DA CUNHA MENDES

Secretaria de Estado da Ação Social vai ser instalada na Guarda

Rita da Cunha Mendes, licenciada em Direito, atual vice-presidente da Câmara Municipal de Aguiar da Beira, no distrito da Guarda, vai assumir a nova Secretaria de Estado da Ação Social, que fica dependente do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e que vai ser liderado pela até agora secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho. A Secretaria de Estado da Ação Social vai ser instalada na Guarda.

O presidente da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UDIPSS) da Guarda, Rui Reis, disse à Lusa que a instalação na cidade da Secretaria de Estado da Ação Social "é muito importante para o distrito e para as instituições".

Segundo o responsável, a nomeação de Rita da Cunha Mendes, "acaba por ser um prémio também para a forma como a ação social é desenvolvida no Interior do país e, em particular, no distrito da Guarda", sendo ainda "motivo de congratulação e de grande alegria".

Pelo facto de a secretária de Estado pertencer ao distrito e de ser conhecedora da ação social que é desenvolvida na região, o presidente da UDIPSS/Guarda vaticina que as políticas a desenvolver serão "mais centradas na valorização daquilo que é o Interior e as gentes do Interior do país".

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro (PSD), reagiu com "muita satisfação" à decisão do Governo de instalar naquela cidade a Secretaria de Estado da Ação Social.

"Eu não tinha nenhuma informação oficial de que tal pudesse vir a acontecer, mas é com muita satisfação que a Guarda acolhe esta Secretaria de Estado, ainda por mais sempre com este objetivo claro de poder valorizar o território e de a partir dele também valorizar a capacidade de realização, designadamente nesta esfera da inclusão e da ação social, como é a intenção do Governo e que nós também queremos cooperar", disse o autarca social-democrata.

Carlos Chaves Monteiro valoriza também o facto de a instalação da Secretaria de Estado da Ação Social possibilitar que a política nacional na área seja dirigida a partir de uma cidade do Interior do país.

"Nós [Câmara Municipal da Guarda] vemos com muita satisfação esta desconcentração de poderes, fixando na Guarda a Secretaria de Estado da Ação Social, até porque nestes territórios devem existir estruturas que têm poder de decisão do Governo em termos diretos, junto das populações, no sentido de valorizar o nosso território", justificou.

O autarca da Guarda referiu ainda que o reconhecimento da cidade para ser a sede da Secretaria de Estado da Ação Social e por esta vir a ser liderada por uma pessoa do distrito "é duplamente satisfatório".

Realça igualmente a "efetiva concentração de poderes" para que a partir da Guarda "se possa emanar toda a política nacional que tem a ver com as ações concretas de valorização das pessoas, daqueles que estão marginalizados, têm mais dificuldade de inclusão".

Com a medida, Carlos Chaves Monteiro considera que é feita justiça à "valorização do Interior", que se faz com processos de desconcentração de competências e com a deslocalização de Secretarias de Estado, como é o caso. 

 

Data de introdução: 2019-10-22



















editorial

XXII GOVERNO CONSTITUCIONAL

(...) Sendo o Sector Social e Solidário um importante pilar do Estado Social e o principal agente na proteção social direta, estranha-se o quase desconhecimento da cooperação no programa do Governo já que as anteriormente citadas e...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Sobre um pensamento de JORGE DE SENA
Este ano comemora-se o centésimo aniversário de Jorge de Sena que nos deixou uma obra colossal. É da sua autoria a seguinte frase: “A verdadeira dimensão do humano...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

América Latina: de novo em foco
Houve tempos em que a América Latina constituía um tema importante e recorrente no espaço que os Meios de Comunicação dedicavam à vida política...