RUI SANTOS, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA REAL

Vai ser a melhor Festa da Solidariedade de sempre

SOLIDARIEDADE - Como vê o papel das IPSS na coesão social no concelho de Vila Real?
RUI SANTOS - As IPSS do concelho de Vila Real desempenham um papel fundamental na coesão social, na medida em que prestam apoio social aos mais vulneráveis, conseguindo chegar mais perto das populações. Sendo por vezes as primeiras a detetar e a ajudar em situações complicadas ou de difícil resolução. Destaco ainda que as IPPS são um importante empregador que ajuda, e muito, a economia local no concelho de Vila Real.

Como é a relação da Câmara Municipal com as IPSS do concelho?
É uma relação de estreita complementaridade. Vemos nas IPSS parceiros de confiança e com capacidade para ajudar a implementar as políticas sociais no concelho.

E em que medida se materializa esse trabalho conjunto, de parceria?
Desde logo no Conselho Local de Ação Social, onde se discutem e se avaliam caminhos para a promoção e execução dos apoios sociais, às populações que deles necessitam. Entendemos esta parceria como fundamental para o desenvolvimento estratégico da política social que queremos implementar no nosso território. O município disponibiliza vários programas sociais, quero evidenciar aqui, o programa específico «PRO+», onde comparticipamos, em 50%, a despesa da fatura da água às IPSS. Reflexo desta ligação estreita é a participação de várias IPSS em atividades, das quais destaco o «Espaço Memória» e os «Bailes de Primavera e Outono».

Em que medida as IPSS contribuem para esbater a interioridade das populações, não apenas na cidade e concelho vila-realense, mas (e como edil da capital de distrito) também no território do distrito de Vila Real?
Tendo em consideração a atuação de proximidade das IPSS, fruto da relação de confiança e qualidade que desenvolvem com as populações, conseguem dar, de forma mais imediata e eficaz, resposta/intervenção aos principais aspetos sociais. Em conjunto com as autarquias locais, as IPSS são um veículo importante para o combate à exclusão social, promovendo, ainda, a igualdade de oportunidades com encontros entre as pessoas das várias localidades, através de diferentes e variadas atividades, fora do local habitual de residência dos utentes, proporcionando, assim, melhor qualidade de vida, inclusão e partilha entre os pares. As respostas sociais que proporcionam são, na maioria das vezes, o garante da continuidade e da subsistência das pessoas em territórios de grande isolamento e baixa densidade populacional.

Como vê a Autarquia a realização da XIII Festa da Solidariedade na cidade de Vila Real?
Vila Real assume este evento com orgulho e está empenhada para que as expetativas sejam deveras ultrapassadas, pelo que é uma honra para Vila Real ser parceiro nesta grande festa, onde se valoriza e exorta a solidariedade, que tanto diz às nossas IPSS e ao nosso município. Quando a UDIPPS de Vila Real nos lançou o desafio para sermos parceiros, aceitámos desde a primeira hora com muita satisfação e vontade de colaborar naquela que vai ser a melhor Festa da Solidariedade de sempre.

Que mensagem deixa aos nossos leitores para os chamar até Vila Real por ocasião da Festa da Solidariedade, mas não só?
Vila Real, porta de entrada do Douro, Património da Humanidade, com a bela moldura do Marão e do Alvão, é hoje considerada, com grande propriedade, como destino de eleição da biodiversidade, afirmando-se como um concelho ambicioso, que se destaca nos mais variados campos. A excelente gastronomia, a eclética oferta cultural e turística, não só através dos diferentes equipamentos culturais, mas também pelos lindos e variados roteiros turísticos, dão a conhecer as singulares e únicas particularidades do nosso centro histórico, bem como as maravilhosas zonas ambientais envolventes, mostrando uma sociedade cada vez mais evoluída e com qualidade de vida, mas, acima de tudo, Vila Real é uma cidade que sabe receber e, por isso, espera ansiosamente o grande dia da Festa da Solidariedade.

 

Data de introdução: 2019-05-09



















editorial

Risco de pobreza

Realizado em 2019 sobre os rendimentos do ano anterior, o "Inquérito às Condições de Vida e Rendimento" indica que 17,2% das pessoas estavam em risco de pobreza em 2018. Menos 0,1 ponto percentual que no ano anterior, mas embora diminuindo...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS
Esta semana fui convidado pela administração do grupo Altice para assistir, em Braga, a um evento sobre responsabilidade social das empresas. Ora aqui está um tema que vai seguramente...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

O Muro de Berlim e os outros muros
A queda do Muro de Berlim foi, certamente, um dos acontecimentos mais importantes da segunda metade do século vinte. Basta lembrar que abriu o caminho para o desmantelamento da “Cortina de...