ADENDA AO COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO

Presidente da CNIS realça importância do acordo alcançado

Assinada que está a Adenda ao Compromisso de Cooperação para o Setor Solidário 2017-2018, a CNIS mostra-se satisfeita com o acordo alcançado, considerando, no entanto, que “é menos” do que o desejável, mas “suficiente tendo em atenção os indicadores”.
Recorde-se que os valores da cooperação agora protocolados refletem uma subida de 2,2% face a 2017.
O presidente da CNIS releva quatro pontos inscritos nesta Adenda 2018, considerando que a sua subscrição por parte da CNIS “significa que houve acordo e um acordo significa sempre aproximação de posições, uma vez que sempre houve concordância sobre as respetivas missão e competências (tanto por parte do Estado como da Organização da Sociedade que é a CNIS)”.
Para o padre Lino Maia, “a segunda nota é a da concordância quanto à atualização dos acordos: 2,2%”. E questiona: “Muito? Pouco? Certamente menos do que gostaríamos para a prossecução da missão das IPSS mas o suficiente tendo em atenção os indicadores para o seu estabelecimento: inflação e aumento dos custos, nomeadamente com o impacto do aumento do salário mínimo (justo) e a necessidade de serem dados sinais meramente indicativos na contratação coletiva”.
Em declarações ao Solidariedade, o líder da CNIS realça uma terceira nota que “é a da abertura da adenda à consagração da inovação, nomeadamente pela resposta a desafios que se vão perfilando e de que as experiências piloto com Creche são indicativas”.
Por fim, uma quarta nota “a da progressiva comunhão entre o Ministério das Finanças com os três ministérios sociais associados (Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Saúde e Educação)”. O presidente da CNIS sublinha que “este é um caminho que interessa percorrer e aprofundar”.

 

Data de introdução: 2018-04-16



















editorial

As nossas diferenças potenciam a coesão e a união

Discurso do Presidente da Mesa da Assembleia Geral da CNIS, José Carlos Batalha, por ocasião da tomada de posse dos órgãos sociais para o mandato 2019-2022. 

inquérito

Que expectativa tem para o ano de 2019?

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Estados Unidos: a crise do orçamento e o muro
Que um governo norte-americano fique temporariamente inoperacional, por via da não aprovação do seu orçamento, não constitui propriamente uma novidade. Que uma crise...

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Obrigado, Padre Lino!
Ainda no rescaldo do sufrágio eleitoral na CNIS em que o Padre Lino Maia voltou a merecer, por voto secreto, a confiança das centenas de Instituições Particulares de...