LEGISLATIVAS 2005

Sócrates pode ser empossado a meio de Março

O presidente da República poderá empossar o novo primeiro-ministro José Sócrates já em meados de Março se o apuramento do resultado das eleições deste domingo ficar concluído a 2 de Março com o escrutínio dos votos da emigração.

Com os 230 parlamentares para a Assembleia da República apurados, o STAPE ficará em condições de entregar a acta de apuramento destes círculos a 3 ou a 4 de Março, devendo a Comissão Nacional de Eleições publicar o mapa nacional da eleição em Diário da República na semana de 7 a 11 de Março.

Com estes passos dados, o Presidente da República, apesar de não estar condicionado por lei a qualquer prazo na indigitação do primeiro-ministro, fica em condições para empossar Sócrates, o que poderia ser feito entre 12 e 14 de Março.

Jorge Sampaio poderá começar o processo de indigitação de Sócrates ainda esta semana, mesmo antes da publicação do mapa nacional da eleição, com a consulta aos partidos.

Seguindo o que já aconteceu nas duas últimas legislativas, Sampaio deverá assim ouvir as formações partidárias com assento parlamento dois ou três dias após as eleições.

Por imposição constitucional, a Assembleia da República «reúne por direito próprio no terceiro dia posterior ao apuramento dos resultados gerais das eleições», ou seja, em princípio no final da semana que começa a 7 de Março, numa sessão destinada à verificação dos mandatos dos 230 deputados.

Imediatamente após essa verificação, o Presidente pode empossar o primeiro-ministro e o seu Governo, tendo Sócrates dez dias para apresentar o programa de Governo no Parlamento, passo antes do qual o executivo se limitará «à pratica dos actos estritamente necessários para assegurar a gestão dos negócios públicos».

Se este calendário se cumprir, o próximo Governo pode iniciar funções a meio de Março, cerca de três meses após o anúncio da dissolução da Assembleia da República e convocação de eleições antecipadas por parte de Jorge Sampaio a 10 de Dezembro.


 

Data de introdução: 2005-02-21



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...