MARINHA GRANDE

Antiga fábrica dá lugar a creche social que irá funcionar 24 horas por dia

A antiga fábrica vidreira IVIMA, na Marinha Grande, vai acolher uma creche social que irá funcionar 24 horas por dia, disse a vereadora da autarquia responsável pelo pelouro da Intervenção Social. "É um dos equipamentos que faz falta no concelho. Também pretende dar resposta a muitos pais que na Marinha Grande trabalham por turnos", explicou Cidália Ferreira. A autarca informou que a creche, com capacidade para 84 crianças, será construída a expensas da Câmara da Marinha Grande num edifício que foi doado em Outubro de 2011 pela empresa Barbosa & Almeida. "O edifício, que tem uma área considerável, irá ainda albergar sedes
de associações que trabalham na área social", informou a vereadora.

"Temos tido reuniões com a Segurança Social e o processo está bem encaminhado. A ideia é iniciar com um horário normal e depois realizar acordos atípicos para concretizar esta intençäo da autarquia em ter a creche a funcionar 24 horas por dia", frisou. A gestão da creche ficará a cargo de uma Instituição Particular de Solidariedade Social, a ADSER II - Associação para o Desenvolvimento Económico da Região da Marinha Grande.

A antiga fábrica, que está a ser alvo de obras de requalificação desde o final de 2011, foi emparedada em 2006, mas chegou a servir durante anos como local de tráfico de droga e de refúgio a toxicodependentes. A IVIMA foi fundada em 1894 através da sociedade Empresa da Nova Fábrica de Vidros da Marinha Grande e assumiu-se como uma das mais prestigiadas empresas de cristalaria do país, durante um século, chegando a ter mais
de um milhar de funcionários.

 

Data de introdução: 2012-09-03



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...