SILVA CONSTRÓI EDIFÍCIO MULTIUSOS

Creche, centro de dia, centro de noite e apoio domiciliário

A obra, cuja cerimónia de lançamento aconteceu a 30 de Julho, terá uma área de 1.320 metros quadrados. 

Promovida pelo Centro Social de Cultura e Recreio da Silva, a empreitada vai custar cerca de 700 mil euros. A associação tem já a garantia que grande parte das verbas advirá de comparticipações do Governo Central, de Fundos Comunitários e da Câmara Municipal. De resto, a autarquia barcelense foi a primeira entidade a colaborar, atribuindo um subsídio de 150 mil euros para o arranque dos trabalhos. 

Maria do Carmo Antunes manifestou-se “impressionada” com a actividade do Centro Social de Cultura e Recreio da Silva. A directora do Centro Distrital de Segurança Social de Braga considerou que esta colectividade “em muito contribui para o desenvolvimento da comunidade”. “Basta ver as valências que desenvolve e que têm, aliás, acordo com a Segurança Social”, salientou Maria do Carmo Antunes. Esta responsável mostrou-se convicta que dentro de um ano, a obra estará concluída e à disposição da comunidade. 

Fernando Reis concordou com a directora da Segurança Social e fez um apelo à generosidade das pessoas da Silva e das freguesias vizinhas. “Não é uma obra fácil, até porque estamos num período de muitas dificuldades financeiras e a associação não tem ainda financiamento garantido para a conclusão da obra. No entanto, ela vai contar com a generosidade, não só desta freguesia como das populações à volta”. O autarca fez ainda questão de sublinhar que “serão os serviços públicos, nomeadamente as Administrações Local e Central a ter de suportar aquilo que é necessário para que haja melhor qualidade de vida para as nossas populações”.

Edifício vai criar 82 vagas

Fernando Reis, dirigindo-se ao presidente da instituição, Ricardo Miranda, garantiu ainda que “a Câmara Municipal vai continuar a apoiar este tipo de obras, dentro de uma estratégia definida de melhorar as condições de vida dos barcelenses”. 

Reis deixou ainda uma nota para o presidente da Junta de Freguesia, por se ter empenhado junto da autarquia no financiamento desta obra, em detrimento de outras prioridades e necessidades. O presidente da Câmara louvou também a vontade, o trabalho e o empenho dos corpos directivos do Centro Social da Silva na concretização de mais este sonho. 

Um sonho que segundo referiu o presidente do Centro Social, Ricardo Miranda, vai “permitir criar mais 82 vagas: 40 para crianças e 42 para idosos, dando ainda ocupação e trabalho a mais 24 funcionários especializados”. 

O presidente da instituição fez ainda uma resenha breve de todo o processo burocrático e mostrou-se convicto do “melhor acolhimento e muita generosidade para a concretização da obra”.
Por seu lado o presidente da Junta , José Vilas Boas Silva fez questão de agradecer à Câmara a resposta pronta às suas solicitações.

 

Data de introdução: 2005-08-26



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...