ALCOBAÇA

Centro de Educação Especial inaugura lar e centro ocupacional

O Centro de Educação Especial de Alcobaça inaugurou um novo lar residencial e um centro de actividades ocupacionais, num investimento de 1,7 milhões de euros que irá permitir diminuir os utentes em lista de espera. O Estado atribuiu 1,05 milhões, a autarquia 200 mil euros e o restante foi suportado pelo CEERIA.

O novo lar do CEERIA - Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça tem capacidade para 24 residentes, dos quais 16 serão transferidos de dois espaços de alojamento" que já estavam a funcionar e oito serão novas admissões, disse o presidente da instituição, José Belo. No espaço, localizado na Quinta das Freiras, funcionará ainda um novo Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) com capacidade para 30 utentes e equipado com "sala de musicoterapia, equipamentos de relaxamento, tanque de hidroterapia, ginásio e sala de fisioterapia".

Este será o quarto CAO a funcionar na instituição, aumentando para 120 o número de utentes que ali encontram respostas e reduzindo "longas listas de espera, porque muitas alunos com necessidades educativas, quando terminam a escola não têm onde se ocupar".

As novas valências foram construídas num terreno de 12 mil metros quadrados, doados pela empresa proprietária do Parque dos Monges (um parque ambiental, cultural e de diversões), testemunhando "o carinho da comunidade de Alcobaça à instituição que é de todos e cujos equipamentos queremos disponibilizar a toda a população".

Fundado em 1976, o CEERIA procura dar respostas no âmbito da educação especial, apoiando crianças, jovens e adultos com dificuldades em aceder a contextos familiares, escolares, sociais e profissionais adequados ao seu nível etário. Tem em funcionamento as valências de Intervenção Precoce na Infância, Valência Sócioeducativa, Centro de Recursos para a Inclusão, Centro de Reabilitação Profissional | Empresa de Inserção, Centro de Atividades Ocupacionais e Centro de Apoio Residencial.

A instituição, com mais de 65 colaboradores, apoia mais de 500 pessoas com deficiências e incapacidade e as respetivas famílias.

 

Data de introdução: 2014-08-04



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...