MISSÃO

Mais de 1.500 portugueses fazem voluntariado missionário em 2014

Mais de 1.500 portugueses vão envolver-se, ao longo do ano, em ações de voluntariado missionário, no país e no estrangeiro, a Fundação Fé e Cooperação (FEC), organismo da Igreja Católica. Em comunicado, a FEC refere que 548 portugueses participaram, participam ou participarão (os números já contabilizam os voluntários que ainda irão em missão até final do ano) em missões internacionais, número que sobe para 992 nas ações de voluntariado em Portugal.

De acordo com os dados do inquérito feito às entidades que integram a Rede de Voluntariado Missionário, coordenada pela FEC, África é a região do mundo que mais atrai voluntários portugueses. Em 2014, Cabo Verde vai acolher 143 voluntários, Moçambique 94, Guiné-Bissau 90, Angola 74 e São Tomé e Príncipe 78. O Brasil vai receber 45 e Timor-Leste 14.

Dos 548 portugueses envolvidos em ações de voluntariado missionário internacional -- maior registo desde 2002 --, 514 deslocaram-se em missões de curta duração (entre duas semanas e seis meses). Dos restantes, há mais mulheres do que homens a envolverem-se em missões de longa duração (entre sete meses e dois ou mais anos).

É na região de Lisboa e Vale do Tejo que estão mais de metade dos 992 jovens e adultos que, ao longo do ano, vão fazer voluntariado missionário em Portugal, desenvolvendo sobretudo atividades de animação sociocultural e trabalho pastoral.

Na sua maioria, os voluntários têm entre 18 e 30 anos, são estudantes, recém-licenciados ou trabalhadores que aproveitam as férias para fazerem voluntariado, e "muitos" repetem a experiência, retrata a FEC.

Educação e formação é o foco privilegiado dos projetos de voluntariado missionário nos países em desenvolvimento e crianças e jovens são o principal público-alvo.

A FEC inquiriu as 61 entidades (organizações não governamentais para o desenvolvimento, instituições particulares de solidariedade social, associações juvenis, congregações religiosas, paróquias, dioceses, fundações e grupos informais de jovens e adultos) que integram a Rede de Voluntariado Missionário, tendo obtido respostas de 49 (mais 12 do que em 2013).

 

Data de introdução: 2014-07-13



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...