Sócrates promete combate "inteligente" às fraudes na Segurança Social

O primeiro-ministro, José Sócrates, prometeu que o Governo desencadeará um combate intenso mas inteligente, através de meios informáticos, no combate à fraude e à evasão nas contribuições e prestações da Segurança Social.

"Não vamos actuar às cegas, mas sim de forma inteligente no combate à fraude na Segurança Social, através do cruzamento de dados entre os diferentes serviços do Estado", declarou José Sócrates na apresentação do "Plano Nacional de Prevenção e Combate à Fraude e Evasão Contributivas e Prestacionais".

"Além de este plano ter sido concluído de forma rápida, ao fim de um mês de exercício de funções governativas, é também um programa de combate à fraude de qualidade, porque identifica as prioridades e os meios necessários para travar essa luta", sustentou.

José Sócrates especificou depois que o combate à fraude se processará em larga medida com o cruzamento de dados informáticos da Segurança Social, do Instituto de Emprego e Formação Profissional e da Administração Fiscal. "Quem abusa do Estado social está a pôr em crise o contrato de confiança entre o Estado e os cidadãos prejudicando quem mais precisa de apoios. Só teremos uma Segurança Social credível se tivermos um sistema que cumpra os seus objectivos e se soubermos dar aos portugueses uma resposta contra os abusos", declarou Sócrates.

 

Data de introdução: 2005-04-29



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...