INFARMED SEM RESPOSTAS

venda de pílulas fora das farmácias

O Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (Infarmed) ainda não pode confirmar se as pílulas do dia seguinte que não exigem receita médica serão vendidas fora das farmácias, tal como pretende o Governo.

De acordo com a Rádio Renascença, o Infarmed limita-se a dizer que está a cumprir as orientações do Executivo para pôr em prática a nova legislação, não tendo resposta à pergunta sobre a venda da pílula de emergência.
Segundo a emissora, o problema é que ministro da Saúde, Correia de Campos, e o seu secretário de Estado, Francisco Ramos, parecem ter posições diferentes sobre o assunto em questão.

Depois de Francisco Ramos ter defendido um regime de excepção para as pílulas do dia seguinte, Correia de Campos esclareceu na quinta-feira, no Parlamento, que, desde que não estejam sujeitos a receita médica, estes medicamentos, como os restantes de venda livre, vão passar a ser vendidos fora das farmácias.

Segundo a argumentação de Correia de Campos, a questão não é administrativa, mas técnica.

 

Data de introdução: 2005-04-27



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...