SEGURANÇA SOCIAL

Há menos pessoas a receber o Complemento Solidário para Idosos

Mais de 165 mil pessoas receberam o Complemento Solidário para Idosos (CSI) em fevereiro, uma ligeira redução em relação a janeiro e na comparação com o período homólogo de 2018, segundo os dados mais recentes.
Os dados estatísticos do Instituto de Segurança Social mostram que em fevereiro o CSI foi pago a 165.137 idosos, menos 911 do que no mês de janeiro e menos 261 do que em fevereiro de 2018.
Esta prestação social é sobretudo paga a mulheres (116.163) e, no geral, a distribuição geográfica mostra que o CSI é sobretudo pago nos distritos do Porto (28.576), Lisboa (24.104) e Braga (12.400).
No que diz respeito a pensões, o Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP), do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, refere que as pensões de velhice são as que têm maior peso no total de pensões processadas (69,7%), sendo que foram atribuídas menos 1.949 pensões do que em janeiro, no total de 2.037.298 pensões.
“No total de pensões processadas, o peso das pensões de sobrevivência é de 24,2%. Em fevereiro de 2019 foi registado um decréscimo de 0,1% (menos 365 pensões) relativamente ao mês anterior, totalizando 709.581 pensões. Face ao mês homólogo de 2018, observou-se um decréscimo de 5.530 pensões, representando uma descida de 0,8%. São os pensionistas do sexo feminino que detêm a maioria das pensões de sobrevivência (81,6% do total)”, lê-se no boletim estatístico.
Por outro lado, foram pagas 177.498 pensões de invalidez, mais 715 do que em janeiro, mas menos 1.127 do que em fevereiro do ano passado, o que representou uma redução de 0,6%.

 

Data de introdução: 2019-03-22



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...