CARTA ÀS INSTITUIÇÕES - NOVEMBRO 2007

SENHOR (ª) PRESIDENTE

Mensalmente, a CNIS bate-lhe à porta...
Nem sempre para dar boas notícias.
Mas certamente para alimentar uma comunhão que deve ser fortalecida entre todos os dirigentes solidários.
É que a comunhão é portadora de vida, favorece a criatividade e... talvez dê o necessário vigor para enfrentar a realidade...
E é urgente enfrentar a realidade. Provavelmente, a realidade não é aquilo que mereceríamos. Possivelmente, será mais aquilo que tememos. Mas, enfrentando-a, em comunhão solidária, contrariaremos aquilo que rejeitamos...

1. ASSEMBLEIAS-GERAIS

Na fidelidade à tradição, no último Sábado de Novembro, dia 24, decorrerá em Fátima a assembleia-geral ordinária da CNIS, nomeadamente, para discussão e possível aprovação de “Contas de Exploração Previsional” e “Programa de Acção para 2008”.
Mas “outros” e importantes assuntos serão abordados.
As assembleias gerais são momentos altos das instituições. É muito bom que compareça e que tudo faça para que as assembleias gerais da sua instituição e da sua União Distrital também sejam muito concorridas. A participação nas assembleias gerais favorece o envolvimento dos associados na vida das Instituições e pode contribuir para uma maior sensibilização de voluntários. Sendo já muitos os que se devotam à causa solidária é importante que muitos mais sejam captados…

E, não se esqueça: participe nas iniciativas da sua União Distrital e da CNIS…


2. ATL

Ainda não é desta que o ATL deixa de ter espaço na Carta Mensal.
É preocupante o que se passa em alguns distritos: se há Centros Distritais que revelam habilidade, há quem pareça privilegiar a prepotência...
O Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social confirma que as listas das situações em que se “pede” a manutenção do ATL clássico não estão encerradas.
Há muitas IPSS que têm longas listas de inscritos. Há IPSS que têm muitos pedidos de alunos do 2º ciclo. Há pais que insistem no seu direito de escolher. Há IPSS que não se remetem ao mero serviço de pontas....

A CNIS está atenta e a actuar... Mas reconhece alguma impotência...

Entretanto, insisto:
Proclame oportuna e inoportunamente que o ATL não é um mero serviço de guarda de crianças, mas tem um consistente projecto educativo!
Mantenha informada a sua União Distrital sobre o evoluir da situação.
Faça chagar ao Centro Distrital as declarações dos pais que insistem na frequência do ATL.


3. DIAS CELEBRATIVOS

Os dias comemorativos sucedem-se: “Dia Internacional da Tolerância” (16 de Novembro), “Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres” (24 de Novembro), “Dia Mundial das Pessoas com Deficiência” (3 de Dezembro), “Dia Internacional do Voluntariado para a Economia e Desenvolvimento Social” (5 de Dezembro)”, “Dia do Voluntário” (5 de Dezembro), “Dia do Deficiente” (9 de Dezembro), “Dia dos Direitos Humanos” (10 de Dezembro).

Não deixe de promover na sua Instituição iniciativas de sensibilização e celebração.
E, por exemplo, aproveite o Dia do Voluntário (5 de Dezembro) para, profeticamente, afirmar a importância do Movimento Solidário em Portugal.



4. FREGUESIAS DE PORTUGAL CONTINENTAL
CARACTERIZAÇÃO SOCIAL, CULTURAL E ECONÓMICA

O Estudo de caracterização social, cultural e económica das Freguesias de Portugal Continental que, sob a coordenação da Dr.ª Maria Isabel Monteiro, foi feito pela Associação ao Serviço da Vida no âmbito de um protocolo celebrado entre a CNIS e o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social vai ser publicado e apresentado na próxima Assembleia Geral da CNIS (24 de Novembro).
Nesse estudo, apresenta-se o diagnóstico da cultura local e regional e ainda se procede à caracterização organizacional das instituições que intervêm e das estratégias dos seus líderes no âmbito da Solidariedade Social
O Estudo é uma “ferramenta” para quem deseja intervir, sobretudo para todos os que têm de decidir no âmbito da solidariedade social.

5. INFORMATIZAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES

A informatização é uma louvável inevitabilidade:
Peço a todas as Instituições que mandem para a CNIS o respectivo endereço electrónico.
E que, ao mesmo tempo, prestem informações actualizadas sobre os demais contactos.


6. NÚMERO DE IDENTIFICAÇÃO DA SEGURANÇA SOCIAL (NISS)

A partir de Janeiro de 2008 a recepção dos mapas estatísticos na Segurança Social só vai ser possível por correio electrónico.
Assim sendo, deixará de ser possível o envio dos mapas estatísticos mensais em suporte de papel, devidamente preenchidos conforme as orientações constantes no Manual do Utilizador.
No âmbito desta medida, o número de processo referenciado nos diversos modelos dos mapas estatísticos, terá de ser substituído pelo NISS (Número de Identificação da Segurança Social) de cada utente, pelo que se aconselha a confirmação da sua existência, devendo, quando tal não aconteça, efectuar o respectivo encaminhamento até ao final do ano em curso para os serviços da Segurança Social, para que se proceda à respectiva inscrição.
Idêntico processo deverá ser implementado para a totalidade dos trabalhadores/colaboradores da Instituição e respectivos Corpos Gerentes.


7. QUADROS DE PESSOAL 2007

De acordo com o previsto na Lei 35/2004, de 29 de Julho, durante o mês de Novembro decorre o prazo de entrega dos mapas dos Quadros de Pessoal.
A entrega por meio informático (correio electrónico, disquete ou CD-ROM) é obrigatória para os empregadores com mais de 10 trabalhadores, devendo conter toda a informação referente à entidade empregadora, ou seja, os dados da Instituição, de todos os equipamentos e dos respectivos trabalhadores, incluindo os estrangeiros e apátridas, referentes ao mês de Outubro anterior.
O processo de entrega do Quadro de Pessoal 2007 teve início no dia 1 de Novembro

(Fonte: www.dgeep.mtss.pt)


8. QUALIDADE – PRESSUPOSTO DE DIFERENCIAÇÃO

No âmbito do protocolo com a APCER, decorreu, em Fátima, um Seminário subordinado ao tema "Qualidade – Pressuposto de Diferenciação".
Participaram 315 pessoas que representavam 200 IPSS. Com a iniciativa pretendia-se divulgar a certificação e seus benefícios.

Em anexo, transcreve-se um texto de resumo do Seminário, da autoria do moderador do Seminário (Prof. Manuel Domingos).
Entretanto, peço a todas as Instituições que estejam certificadas ou em fase de Certificação que informem a CNIS desse facto.



Com os melhores cumprimentos


Porto, 5 de Novembro de 2007


O presidente da CNIS



__________________
(Lino Maia, padre)

QUALIDADE… PRESSUPOSTO DE DIFERENCIAÇÃO”

 

 

 

 

 

 

Parafraseando Peter Drucker, guru da área da gestão, o século XXI será o “século das instituições sem fins lucrativos”.

A CNIS, enquanto estrutura representativa das Instituições Particulares de Solidariedade Social, no quadro do Plano de Actividades para o corrente ano e no que ao Departamento de Formação está cometido, levou a efeito no dia 27 de Outubro, no Hotel Cinquentenário, em Fátima, mais uma acção de formação, no formato de Seminário Nacional, subordinado ao tema “Qualidade…Pressuposto de Diferenciação”. A presente iniciativa insere-se, igualmente, no quadro e pressupostos de cooperação decorrentes do Protocolo firmado entre a CNIS e a APCER (Associação Portuguesa para a Certificação) com vista à criação dos mecanismos prévios e necessários à Certificação da Qualidade – desiderato e desafio que a CNIS e as suas filiadas elegeram como referencial dos serviços que ao longo da sua história tem caracterizado as respostas pelas mesmas disponibilizadas.

Conscientes de que se afirmarão, uma vez mais e sempre, perante a sociedade civil como “referenciais de boas práticas” relativamente aos serviços, processos e produtos que disponibilizam, as IPSS aderiram de forma particularmente empenhada e em elevado número. Perto de quatro centenas de participantes, entre dirigentes e técnicos, seguiram atentamente e de forma particularmente envolvente os trabalhos que durante toda a manhã decorreram sob responsabilidade técnica da APCER que se fez representar ao mais alto nível da sua Direcção de Certificação e Auditores e sob coordenação da CNIS.

Partindo da premissa e desafio que se nos colocam, no presente, e que se pode consubstanciar no slogan “Da Qualidade à Sustentabilidade” foram, entre outros, desenvolvidos temas pertinentes como: “Qualidade e Certificação”, “Sistemas de Gestão” e “Certificação: uma perspectiva prática” – Princípios de gestão, abordagem por processos, eficácia e eficiência e as inevitáveis dificuldades com que nos haveremos de deparar na implementação de tão arrojado quão necessário processo, qual é o da Certificação das IPSS.

“Este é o caminho”, referiu o Dr. Eugénio Fonseca, presidente adjunto da Direcção da CNIS na conclusão dos trabalhos.

Falar de cultura organizacional, estratégia, motivação, envolvimento, talento, criatividade, polivalência, flexibilidade e valor, mas “mantendo pequenos poderes” é um erro terrível.

Foram os presentes confrontados e desafiados a uma profunda reflexão relativamente aos grandes princípios da gestão, pressuposto fundamental em todo este processo que se adivinha de particularmente motivador, activo e envolvente a exigir uma liderança forte e responsável que haverá de capacitar as IPSS no sentido da implementação de acções e medidas de melhoria contínuas, seja ao nível dos processos, seja ao nível dos métodos.

Porque a nossa aposta continua a ser nas PESSOAS – são elas que implementarão e sustentarão a “diferenciação” – todo este processo e projecto foi já assumido em Plano de Actividades par 2008 que a seu tempo será proposto para ratificação na Assembleia-geral ordinária de Novembro próximo.

Em jeito de conclusão, foram os presentes desafiados a assumirem como anagrama norteador da sua actividade o “tripé da qualidade”: VIP (visibilidade, interactividade, perspectivas).

 

 

 


 

Data de introdução: 2007-11-04



















editorial

Uma cultura muito nossa

(...) Uma "cultura muito nossa" em que cada português se sente "guarda do seu irmão" e em que ninguém rejeita "fazer o que está ao seu alcance na construção coletiva" de um melhor devir para cada e para todos.

inquérito

O Orçamento de Estado para 2018 é favorável ou prejudicial ao funcionamento das IPSS?

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

2018: Mais Justiça Social...Precisa-se!
Faz parte da tradição de fim de ano “fazer balanços” sobre tudo e mais alguma coisa! Ninguém (particular ou empresa) resiste à tentação de...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

AMÉRICA CENTRAL: Eleições e instabilidade social
Entre os anos setenta e noventa do século passado, a América Central, foi objecto de grande interesse por parte da opinião pública internacional. Pelo menos, alguns dos...