CARTA ÀS INSTITUIÇÕES - AGOSTO 2007

SENHOR (ª) PRESIDENTE

O ATL tem sido tema recorrente e causa de muitas preocupações. Assim continuará …

Se no dia 30 de Junho, em Fátima, a Direcção da CNIS recebeu um mandato claro para apenas subscrever um “compromisso-base” que contemple o direito dos pais a optar pela frequência do ATL clássico em que haja as designadas “actividades de enriquecimento curricular – AEC”, esta exigência, subscrita pelas outras duas Uniões, foi apresentada aos Ministérios da Educação e do Trabalho e da Solidariedade Social.

No dia 14 de Agosto no Ministério da Educação, sob a presidência conjunta da Senhora Ministra da Educação e do Senhor Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, com a participação dos respectivos Secretários de Estado da Educação e da Segurança Social, reuniu o “Grupo de trabalho que define o modelo de relacionamento das Instituições que prestam serviços de ATL com as Escolas”. Participaram representantes da Associação Nacional dos Municípios e da Confederação das Associações de Pais e os presidentes da CNIS, da União das Misericórdias e da União das Mutualidades.

O encontro não foi conclusivo, mas parece não vir a ser considerada a exigência da CNIS (direito de escolha dos pais).

Em síntese, a situação presente é a que resulta do encontro:

- O Senhor Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social afirmou disponibilidade para
a) Continuar a considerar a frequência do ATL para as crianças do 1º ciclo onde há desdobramento de horário e onde as Câmaras não assumam a implementação da medida do alargamento do horário escolar (há lista destas situações) e para alunos do 2º Ciclo;
b) Alargar, segundo as necessidades, os acordos a mais utentes daquilo a que se começou a chamar “serviço de pontas e pausas lectivas”;

- A Senhora Ministra da Educação
a) Adoptará medidas que levem as Câmaras a efectivamente considerar as candidaturas das IPSS à prestação das actividades de enriquecimento curricular (AEC)
c) Pretende saber quais são as IPSS com ATL que querem apresentar-se como candidatas à prestação das AEC.

Não abdicando do mandato conferido mas querendo chegar à próxima reunião com o aval de quem procura soluções e não bloqueios, para continuar a alimentar a luz que ainda poderá restar no fundo do túnel, peço que responda, impreterivelmente até ao dia 24 de Agosto, às questões que se colocam no inquérito que junto e que devolva por correio ou por fax (226001774).

Para uma intervenção sustentada e credível, a CNIS tem de se apresentar na reunião com a lista de todas as IPSS com ATL em que, claramente, estejam identificadas as IPSS que se candidatam, ou não, a prestar as AEC e aceitam o serviço de pontas e pausas lectivas e as IPSS que, não se candidatando à prestação das AEC, aceitam ou não aceitam limitar-se ao serviço de pontas e pausas lectivas…

Peço URGÊNCIA. Garanto DETERMINAÇÃO.


Com os melhores cumprimentos

Porto, 15 de Agosto de 2007

O presidente da CNIS


__________________
(Lino Maia, padre)






INQUÉRITO BREVE AOS CATL

RESPOSTA ATÉ 24 DE AGOSTO




1. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

______________________________________________________________

DISTRITO _____________________________

CONCELHO ____________________________



2. PRETENDE PRESTAR AS AEC? SIM - NÃO _______________________
(Actividades de Enriquecimento Curricular)




3. Se não prestar as AEC SIM - NÃO
ACEITA O SERVIÇO DE PONTAS E PAUSAS LECTIVAS? _________________




Assinatura


______________________

 

Data de introdução: 2007-08-16



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...