CUIDADO COM O CALOR

Castelo Branco, Évora e Beja com "alerta amarelo"

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) decretou o "alerta amarelo" para os distritos de Castelo Branco, Évora e Beja devido às altas temperaturas registadas, que deverão prolongar-se ao final da semana. Em comunicado, a DGS explica que o “alerta vermelho” (terceiro mais grave) "corresponde a um nível de alerta em que são previsíveis efeitos sobre a saúde". 

O Instituto de Meteorologia prevê para quarta-feira temperaturas máximas entre os 35 e os 36 graus naqueles distritos, situação que deverá manter-se sem grandes variações até ao final da semana. 

Por esta razão, o organismo do Ministério da Saúde recomenda à população cuidados acrescidos na exposição ao calor , nomeadamente a protecção das pessoas mais vulneráveis ao calor - pessoas idosas, acamadas ou que vivem isoladas, bebés e crianças - e alerta as "unidades de saúde, as instituições sociais, os familiares e vizinhos para a necessidade de apoio e ajuda a estas pessoas para se protegerem do calor". 

A DGS aconselha a população a evitar esforços físicos, a exposição directa ao sol nas horas de maior calor (entre as 11:00 e as 16:00), a permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco, ingerir mais líquidos e a evitar as bebidas alcoólicas, açucaradas, gaseificadas e com cafeína, porque podem provocar desidratação. 

As pessoas que sofram de doença crónica ou estiverem a fazer uma dieta com pouco sal ou com restrição de líquidos, deverão aconselhar-se com o seu médico, aconselha a DGS.
Este organismo garante que as autoridades estão "a tomar as medidas contempladas no Plano de Contingência para Ondas de Calor". 

Segundo os dados da monitorização da mortalidade accionada através do Plano de Contingência para a Onda de Calor, elaborado pelo Ministério da Saúde para estar em vigor entre 15 de Maio e 30 de Setembro, o calor que se registou em Portugal no final de Julho terá provocado 80 mortos na região do Algarve.

 

Data de introdução: 2004-09-22



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...