TEATRO ESPECIAL

Festival Nacional em Abrantes

O Festival Nacional de Teatro Especial (FNATES) vai decorrer em Abrantes, nos próximos dias 24, 25 e 26 de Março, no Cine-Teatro S. Pedro. A iniciativa, na sua quarta edição, é promovida pelo Centro de Recuperação Infantil de Abrantes (CRIA). 

A edição deste ano terá como novidade a presença do Grupo de Mímica e Teatro – Oficina Versus, da Madeira e que levará à cena a peça “O Principezinho”.
“Overdose de Vida” é o trabalho trazido pelo Grupo “Era uma vez…Teatro”, vindo do Porto. O “Teatro Alma Grande” da APPACD de Setúbal subirá ao palco com a peça “Anjos Caídos”. De mais perto virá também o “Teatro Fantasia” da APPACDM de Santarém que interpretará a peça “Chapéus há muitos”. 

O CRIARTE, grupo de teatro do Centro de Recuperação Infantil de Abrantes, que se encontra em fase de ensaios, irá estrear a peça “O Rapaz de Bronze”.
O programa deste Festival conta ainda com a colaboração e a participação do Grupo “Palha de Abrantes”, que apresentará “Um pedido de casamento”. 

A deficiência será o factor comum a todos os actores que participarão no evento, à excepção do Grupo “Palha de Abrantes”, o que faz deste Festival um verdadeiro mundo de emoções.
Esta quarta edição do Festival Nacional de Teatro Especial pretende dar continuidade a um evento, com mérito reconhecido, que realça a importância do teatro como ferramenta terapêutica e pedagógica para as crianças e jovens portadores de deficiência. 

Promover o intercâmbio, ao nível das instituições de ensino especial e inserção social é outro dos objectivos a atingir. Bem como, divulgar o trabalho realizado por estes grupos de jovens na área do teatro, estimular a criatividade, despertar e sensibilizar o público em geral para as capacidades dos cidadãos portadores de deficiência.
A iniciativa conta o apoio da Câmara Municipal de Abrantes, no âmbito do FINEVENT, programa de apoio financeiro à realização de eventos culturais. 

O Centro de Recuperação Infantil de Abrantes integra cerca de 130 utentes, de áreas tão diversas como Abrantes, Constância, Sardoal, Mação e Gavião.

 

Data de introdução: 2006-03-05



















editorial

COOPERAÇÃO (Conclusões do Encontro Nacional)

A rede capilar de serviços sociais prestados pelas IPSS em todo o País, a todos, mas preferencialmente aos mais desprotegidos, desde o litoral urbano às periferias despovoadas do interior, corresponde a um mandato e possui um fundamento constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

A América Central de novo em foco
Há uns anos atrás, alguns países da América Central motivaram um grande interesse da opinião pública internacional. Tudo porque ali se travava uma guerra, embora...

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

“PORTUGUESES: satisfeitos com o governo …insatisfeitos com a VIDA”!
Foi exatamente esta a mensagem que o jornal PÚBLICO adotou, recentemente, como título de primeira página.