ABERTURA DO II CONGRESSO DA CNIS

Palavras de Mário Dias

O Presidente da Mesa da Assembleia-geral da CNIS, Mário Dias, fez as honras da casa na abertura do II Congresso Nacional da confederação referindo a importância crucial dos conceitos de solidariedade e coesão social.

“Mais pessoa, mais comunidade” é o lema do II Congresso da CNIS, um congresso que irá procurar analisar o modelo social europeu, as políticas sociais em Portugal e na União Europeia, segundo o presidente do congresso Mário Dias.

No discurso de abertura, Mário Dias sublinhou a os pontos essenciais de reflexão a abordar nestes dois dias de debate, nomeadamente as políticas de investimentos e o seu financiamento, o voluntariado social, o diálogo institucional, a pobreza e o desemprego, os idosos e a sua situação de dependência.

O presidente da mesa da Assembleia Geral da Confederação referiu o esforço da CNIS para fazer um levantamento das necessidades sociais pelas freguesias do país, mencionando que esse inventário pode servir de guião aos dirigentes governamentais para apresentação e estudo de respostas essenciais à resolução de inúmeros problemas sociais.

“A CNIS deve agir e responder de forma inovadora e concertada com os institutos do Estado e com as IPSS”, afirmou Mário Dias, referindo também a necessidade de “haver, obrigatoriamente, mudanças de atitudes dos dirigentes e das instituições, para que o esforço financeiro possa produzir cada vez mais e melhores respostas”.

O Presidente do Congresso terminou a intervenção apelando para que durante o congresso seja feita uma análise sobre a adequabilidade dos estatutos da CNIS à actual realidade social, reflectindo sobre os ajustamentos necessários a serem efectuados.


 

Data de introdução: 2006-02-12



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...