LOGÓTIPO UTILIZADO NO II CONGRESSO

CNIS tem um novo símbolo

Após um ano da abertura de um concurso de ideias para a selecção de um logótipo está escolhido o símbolo que identifica a CNIS em todas as situações em que esteja presente, envolvida e representada. As mãos na mão, assim se podia chamar o trabalho vencedor que foi apresentado por Pedro Miguel Barbosa da Silva Machado, de Águas Santas, Maia, sob o pseudónimo de António Magalhães. O vencedor saiu de um grupo de cinco que foi pré-seleccionado pelo Júri do concurso. Os finalistas vão ser presenteados pela sua participação.

O Júri, reunido em Lisboa no dia 21 de Novembro de 2005, foi integrado pelo Prof. Catedrático João Duarte e pelo Prof. Catedrático Hélder Batista, ambos da Faculdade de Belas Artes de Lisboa e Prof. Eduardo Neves que lecciona na Escola Secundária Gil Vicente. Puderam apresentar candidaturas todos os cidadãos, em nome individual, ou IPSS, com trabalhos colectivos, elaborados pelos utentes, funcionários ou dirigentes. Cada entidade pôde apresentar no máximo duas candidaturas, individuais ou colectivas. De um conjunto de mais de 20 propostas o Júri escolheu o logótipo que considera representar melhor os valores da solidariedade, concórdia e união. 

A escolha do logótipo é o primeiro passo para a transformação estética que será agora implementada. Todos os documentos emitidos pela CNIS ( dossiers, capas, faxes, cartas…); todos os Seminários, Congressos e outras organizações; todos os órgãos de Comunicação Social da CNIS (Jornal Solidariedade, site solidariedade.pt, notas informativas, newsletter, etc.) serão suporte da remodelação estética. 

O II Congresso da CNIS, em Fátima, será a primeira grande organização onde o novo símbolo da CNIS irá ser utilizado. Os cartazes, fitas, cartões, pin’s, desdobráveis, comunicados, revista, em suma, todo o material do congresso ostentará a nova imagem.

 

Data de introdução: 2006-02-12



















editorial

GARANTIR OS VALORES COM SUSTENTABILIDADE (Seminário - conclusões)

As Instituições enfrentam constrangimentos que poderão colocar em causa a sua sustentabilidade, e que resultam, nomeadamente: do modo de criação das IPSS. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

A Europa fabrica mais caixões do que berços
A Europa apresenta a maior perda de população da história moderna. A Alemanha já tem a menor taxa de natalidade do mundo. Nas últimas seis décadas, a...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Índia: as preocupações de cristãos e muçulmanos
Durante muitos anos, o nacionalismo foi entendido como uma das manifestações da afirmação de qualquer povo no mundo. Embora não se trate de conceitos totalmente...