GOVERNO E MAIS 30 INSTITUIÇÕES

CCDesert para ajudar a combater a desertificação

O Governo e mais de 30 instituições vão criar um centro de competências para estudar e procurar soluções e "contribuir para o sucesso" do programa nacional de combate a fenómenos de desertificação.

Trata-se do Centro de Competências na Luta contra a Desertificação (CCDesert), que vai ficar sediado no concelho de Alcoutim, no distrito de Faro, mas terá competências de âmbito nacional, disse à agência Lusa o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas.

Segundo o governante, o protocolo para a criação do CCDesert é assinado hoje entre o Governo e "mais de 30 instituições", entre universidades, municípios, empresas e organismos públicos e associações de produtores e de desenvolvimento local.

O CCDesert vai servir para juntar agentes de investigação, formação, capacitação, divulgação e transferência de conhecimento a agentes económicos e organismos da administração pública para "potenciar" a cooperação e o estudo, "procurar soluções" para a problemática e "contribuir para o sucesso" do Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação (PANCD), explicou Miguel Freitas.

Por outro lado, explicou, em Portugal existem vários projetos de combate à desertificação "que se devem articular" e, nesse sentido, o CCDesert irá verificar "aqueles que estão e aqueles que não estão em curso para se poder avançar para novos projetos".

"A ideia é construir um quadro, uma matriz daquilo que são as necessidades que o país tem para estudar e combater o fenómeno da desertificação, perceber o que já está a feito e a ser feito e incorporar o que falta fazer", disse.

Segundo Miguel Freitas, o CCDesert "vai estudar e procurar soluções para as várias dimensões do fenómeno de desertificação", como a geofísica, a ambiental, a económica e a social.

No entanto, frisou, o centro "vai dar prevalência" ao estudo dos fenómenos de desertificação associados à produtividade dos solos e às produções agrícolas, florestais, agroflorestais e de animais e à cinegética e "até ao ponto de chegar ao estudo do abandono do território".

Em Portugal, atualmente, existe a Comissão Nacional de Coordenação do Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação (PANCD) e, este ano, o Governo vai criar primeiro o CCDesert e depois acionar o Observatório Nacional da Desertificação (OND) previsto naquele programa.

O CCDesert servirá essencialmente para fazer o trabalho relacionado com a articulação das áreas de investigação e de definição das linhas de orientação para novos projetos de investigação e inovação na área do combate à desertificação.

Já o OND, que funcionará no Ministério da Agricultura, será "algo virtual e, essencialmente, uma base de dados num sistema aberto para ser usada por todas as instituições interessadas".

O CCDesert e o OND serão "dois instrumentos essenciais para dar corpo ao trabalho desenvolvido" pela Comissão Nacional de Coordenação do PANCD e "fazer evoluir o trabalho contra a desertificação", um fenómeno "muito preocupante" em Portugal e que "tem vindo a agravar-se" sobretudo no interior da região a Sul do rio Tejo, "a zona mais afetada", disse.

Segundo o protocolo, ao qual a Lusa teve acesso, o CCDesert terá como missão "promover o desenvolvimento e a sustentabilidade do combate à desertificação pela via do reforço da investigação, da formação, da capacitação, da promoção, da inovação e da transferência e da divulgação do conhecimento" sobre a problemática.

O centro tem como objetivos gerais apoiar e acompanhar estudos e projetos de investigação nacionais e internacionais e promover a formação, a capacitação, a divulgação e a transferência de conhecimento e a publicação digital de estudos, relatórios e resultados de projetos de investigação científica na área do combate à desertificação.

Promover estratégias integradas sobre a desertificação e o envolvimento da sociedade civil na sua missão, apoiar a criação de uma "economia resiliente" e reforçar a conservação e a proteção do solo, da água e do ambiente são os objetivos específicos do centro.

O CCDesert terá como órgãos de gestão uma direção, uma assembleia geral e um conselho consultivo, os recursos financeiros, humanos e materiais necessários para o seu funcionamento serão afetos pelos membros e o município de Alcoutim, enquanto anfitrião, assegurará o apoio logístico e administrativo.

A atividade do CCDesert começará com a realização da primeira reunião da assembleia geral para eleger a mesa e a direção e que será convocada pelo presidente da Câmara de Alcoutim num prazo de um mês após a homologação do protocolo agora assinado.

 

Data de introdução: 2018-07-20



















editorial

CASAS DO POVO

1. As Casas do Povo foram criadas no regime do "Estado Novo" pelo Decreto-Lei n.º 23 051, de 23 de setembro de 1933, como peça chave da organização corporativa do trabalho rural. Funcionavam como organismos de...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Democracia à prova!
Portugal vai confrontar-se, a curto prazo, com um conjunto de testes à sua forma de organização como sociedade democrática!

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Comércio Internacional: a outra guerra
Parece que o mundo ultrapassou recentemente mais uma crise ameaçadora para a Paz no mundo. Falamos, claro está, da surpreendente aproximação entre a Coreia do Norte e os Estados...