PADRE JOSÉ MAIA

“PORTUGUESES: satisfeitos com o governo …insatisfeitos com a VIDA”!

Foi exatamente esta a mensagem que o jornal PÚBLICO adotou, recentemente, como título de primeira página.

Convenhamos que não é, propriamente, normal que os portugueses, sempre críticos e insatisfeitos com os sucessivos governos, manifestem satisfação pela ação governativa do atual Governo. Porém, está à vista de toda a gente que a acalmia social em que temos vivido, apesar da permanência de muitos problemas sociais ainda não resolvidos, deve ser atribuída ao atual Governo e ao Presidente da República que, de forma coordenada, têm provado que é preciso saber fazer política para estar de bem com o Povo. Até os sindicatos amainaram!!!

Também aqui se confirma a importância de saber gerir as expetativas dos eleitorados!

Já em relação à insatisfação das pessoas com o quotidiano, somos confrontados com índices de satisfação que colocam Portugal num dos lugares mais baixos da Europa.

Apesar de se ter registado um aumento de satisfação em relação a anos anteriores, em que a mesma questão lhes foi colocada, já em relação ao estado da saúde, por exemplo, continuam ainda como perceções negativas sobre o Serviço Nacional da Saúde, onde estamos em 9ª posição mais insatisfeita.

Não será, por acaso, que só 49% dos inquiridos consideram bom o estado da saúde em Portugal! E os outros 51%?

Resulta das conclusões do estudo, que foi oportunamente realizado e que está na base destas conclusões, a perceção negativa sobre a falta de medidas para reduzir as diferenças entre os níveis de rendimento dos cidadãos.

Atenção: em relação a esta perceção convém assinalar que nove em cada dez consideram muito injusta esta diferença!

Acredito que o Governo, que se tem mostrado exímio em gerir expetativas, andará especialmente atento à “voz da rua” que começa a dar sinais de insatisfação em relação ao que se passa no SNS e às crescentes diferenças entre os níveis de rendimento dos cidadãos.

Já em relação à educação…parece que vamos ter tempestade à vista!

Para bem de todos, espera-se que o Primeiro-ministro continue a revelar-se um político experiente e hábil na forma de lidar com os sucessos e insucessos do seu Governo, tudo fazendo para saber harmonizar a aplicação de boas medidas políticas com o valor da paz social.

 

Pe. José Maia

 

 

Data de introdução: 2018-06-15



















editorial

A IMPORTÂNCIA ECONÓMICA DAS IPSS

Há dados sobre as IPSS bem conhecidos: em 31 de dezembro último, contando naturalmente com as regiões autónomas, entre associações (3.121), cooperativas (50) e fundações (329) de solidariedade social, centros sociais...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Europa: Quem te viu e quem te vê...
Escrevo esta crónica num dia em que os líderes dos 28 países da União Europeia tiveram de fazer um longo serão para poderem redigir um documento político de...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Migrações e crises políticas
Desde a sua criação, já foram muitas as crises que ameaçaram o progresso e a estabilidade da União Europeia. Algumas dessas crises obrigaram à...