CHAMA DA SOLIDARIEDADE 2018

Depois do Montijo e Alcochete segue-se o concelho de Sesimbra

Chegou ao concelho do Montijo vinda da vizinha Moita e, entretanto, já chegou a Alcochete, antes de no dia 11 de abril entrar no concelho de Sesimbra.
A Chama da Solidariedade 2018 prossegue assim a viagem pelo distrito de Setúbal marcando presença em diversas atividades culturais, desportivas e solidárias, em diversas IPSS e outras entidades.
A iniciativa da CNIS está a ser promovida no terreno pela União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Setúbal (UDIPSS)
“Vamos acender e acesa manter a chama da unidade e da solidariedade. Juntos vamos confirmar que é preciso dar a mão pois a força é feita de união”, disse Maria de Fátima Soares, edil de Alcochete, naquilo que pode ser interpretado como o espírito da iniciativa que há mais de uma década percorre o País.
Também o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, manifestou a sua alegria por estar presente nesta iniciativa e saudou o presidente da UDIPSS “pela iniciativa e todo o envolvimento que tem conseguido com todas as instituições, as autarquias e sobretudo as IPSS”.
“É com muita satisfação que o Montijo entrega a Chama da Solidariedade à vila de Alcochete. É uma iniciativa que quero felicitar pelo excelente exemplo que representa para todos nós. O percurso desta Chama está ligado a uma causa que é muito importante para nós, que nos é muito cara: a luta pelos nossos direitos sociais”, sublinhou Nuno Canta, que também destacou “o excelente trabalho das IPSS e também das autarquias que, apesar da invisibilidade, têm assumido uma dimensão de modernidade na sua resposta de solidariedade”.
“Aquilo que nós, União Distrital, fazemos não é mais nem menos do que congregar a vontade das instituições do nosso distrito. Somos muitos mas queremos ser muitos mais porque ainda se está muito longe de alcançar o pleno direito que as pessoas têm a uma vida feliz, a uma vida de continuidade”, disse Fernando Sousa, presidente da UDIPSS Setúbal, agradecendo a todos os intervenientes nos diversos concelhos por onde a flama solidária tem passado.
A Chama da Solidariedade permanece no concelho de Alcochete até 11 de abril, dia em que será entregue ao de Sesimbra.
No final do percurso pelas instituições do concelho de Sesimbra, a Chama será entregue ao município de Setúbal, dia 9 de maio.

 

Data de introdução: 2018-04-05



















editorial

Os pobres e as Instituições de Solidariedade

(...) Se o Sector Social e Solidário é um muito importante pilar do Estado Social, corre sérios riscos de colapso porque o Estado não está a corresponder às expectativas criadas aquando da celebração do Pacto de...

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

América Latina: uma outra deriva?
Em democracia, nada é definitivo. E nada é definitivo, porque a democracia pressupõe a realização cíclica de eleições, e os resultados dessas...

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Greves e serviços mínimos...
Após um longo tempo de quase ausência de greves, proeza atribuída às políticas de reversão de direitos dos trabalhadores e, em geral, de todos os portugueses...