ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA

Produção das flores para os carros da Queima das Fitas em marcha

A Queima das Fitas de Coimbra é só em maio, mas na Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) já há quem esteja a tratar de tudo para que o cortejo corra pelo melhor.
Os utentes do Centro de Atividades Ocupacionais da instituição já começaram a fazer as famosas flores de papel que embelezam os carros do desfile académico, repetindo uma iniciativa iniciada em 2003.
Com as primeiras encomendas já na Quinta da Conraria, as cores ligadas à Academia já se veem um pouco por todo o lado naquele espaço da APCC e o entusiasmo por poder participar nesta enorme tradição da cidade de Coimbra é notório entre os utentes. Isto não deixa de fora os restantes elementos da instituição, estando também os colaboradores no apoio à produção das flores.
Trata-se de uma iniciativa em que todos saem a ganhar: os estudantes conseguem uma preciosa ajuda numa altura do ano em que todos os minutos contam e os utentes da APCC são justamente compensados pelo seu esforço, repartindo entre si os lucros desta atividade, além de realizarem um trabalho com visibilidade pública e alargada.
A instituição, conhecedora da sua capacidade de produção, mantém a possibilidade de encomenda até ao dia 20 de abril, podendo ser feita através dos contactos telefónicos 239 792 120 e 239 802 820. Em 2017, os utentes da APCC fizeram mais de 30 mil flores, que alindaram, coloriram e desfilaram em 25 carros, justificando assim plenamente o mote «Tu fazes a festa, nós fazemos as flores!».

 

Data de introdução: 2018-04-05



















editorial

IPSS: Pilar do Estado Social

(...) o estudo coordenado pelo Prof. Américo Mendes sobre a importância económica e social das IPSS evidencia alguns resultados que ajudam a perceber melhor a situação difícil em que um número muito significativo de...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Geografia dos esquecidos
Nos últimos tempos, e a propósito de tantas desgraças que se têm abatido sobre o interior, não se fala de outra coisa! E bem. A circunstância de nos estarmos a...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

No centenário do armistício da primeira guerra mundial
Passaram recentemente cem anos sobre a assinatura do Tratado que pôs fim ao conflito bélico que passou à História com o nome de Primeira Guerra Mundial, ou simplesmente como a...