BANCO FARMACÊUTICO

Portugueses doaram 15.000 medicamentos e produtos de saúde a 100 IPSS

Os portugueses doaram 15.000 medicamentos e produtos de saúde, com um valor estimado em 60.000 mil euros, a 100 instituições de solidariedade social, na recolha promovida pelo Banco Farmacêutico.

A X jornada de recolha de medicamentos, principal iniciativa do Banco Farmacêutico, realizou-se no sábado em 230 farmácias de todo o país e contou com o apoio de 600 voluntários.

Dados divulgados hoje pelo Banco Farmacêutico revelam que os portugueses doaram 15 mil medicamentos e produtos de saúde, mais 1.000 face ao anterior.

O número de farmácias aderentes também aumentou com mais dez a juntarem-se à iniciativa. "Embora tenha sido uma subida ligeira, permitiu ao Banco Farmacêutico estar, pela primeira vez, presente em todos os distritos de Portugal Continental", referiu a organização em comunicado.

"Aumentamos o número de farmácias, de voluntários, de instituições apoiadas e de medicamentos doados, o que nos possibilita ajudar milhares de pessoas, que de outra forma não teriam possibilidade de adquirir estes medicamentos", afirma o presidente do Banco Farmacêutico, Luís Mendonça, citado no comunicado.

Desde 2009, ano em que a iniciativa decorreu pela primeira vez em Portugal, o Banco Farmacêutico ajudou instituições de solidariedade social com 97.000 medicamentos e produtos de saúde.

O Banco Farmacêutico afirma que "o empenho das farmácias aderentes e respetivas equipas foi essencial para o sucesso da iniciativa, pela sua participação ativa na divulgação e ligação às comunidades onde se inserem, sensibilizando-as para esta causa".

Foi "igualmente importante o papel que os voluntários desempenharam ao longo de toda esta ação, estando presentes em cada farmácia e divulgando o Banco Farmacêutico a todos os utentes", sublinha.

 

Data de introdução: 2018-02-21



















editorial

Respostas sociais dirigidas a pessoas idosas

Um diagnóstico de saúde da população servida pelas IPSS associadas da CNIS, feito pela Universidade de Évora e coordenado pela investigadora responsável Felismina Mendes, revela que, segundo a Carta Social, no período 2000-2016,...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

“Quem não é contra nós, é a nosso favor…”
Inspirei-me nesta mensagem de S. Marcos (9.38-40) para partilhar com os leitores do SOLIDARIEDADE um processo de análise de comportamentos humanos que não é muito habitual na...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

O Mediterrâneo e o naufrágio da Europa
A Europa está a passar por um momento difícil no que respeita ao seu grande objectivo político de constituir e funcionar como uma verdadeira União, fazendo assim jus ao nome por...