SEGURANÇA SOCIAL

IAS sobe para 428,90 euros com efeito a 1 de janeiro

O Governo publicou em Diário da República uma Portaria que atualiza o valor do Indexante dos Apoios Sociais (IAS) de 2018 para os 428,90 euros, mais 7,58 euros do que no ano passado.
O valor do IAS, que serve de referência em prestações sociais como o abono de família, escalões contributivos para a Segurança Social, valores máximos do subsídio de desemprego, entre outros, em 2017 era de 421,32 euros, o que corresponde a uma atualização de 7,58 euros.
Segundo o diploma conjunto dos ministérios das Finanças e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social agora publicado, a atualização do IAS tem em conta a forma de cálculo atualmente em vigor e que considera o valor médio de crescimento real do PIB nos últimos dois anos, apurado a partir das contas nacionais trimestrais do Instituto Nacional de Estatística (INE) para o 3.º trimestre de 2017, que foi de 2,01%.
A atualização do IAS para o ano de 2018 corresponde ao valor da variação média do índice geral de preços no consumidor (IPC), sem habitação, nos últimos 12 meses, disponível em dezembro de 2017, que foi de 1,33%, acrescido de 20% da taxa de crescimento real do PIB, com o limite mínimo de 0,5% acima do valor do IPC, sem habitação, arredondada até à primeira casa decimal, ou seja, uma taxa de atualização de 1,8%.
A portaria produz efeitos a partir de 1 de janeiro de 2018.

 

Data de introdução: 2018-01-18



















editorial

Contratação Coletiva

(...) A opção por uma contratação coletiva de trabalho leal e responsável com os representantes dos trabalhadores tem constituído uma orientação sem desvios da nossa Confederação.

inquérito

O Orçamento de Estado para 2018 é favorável ou prejudicial ao funcionamento das IPSS?

opinião

Padre José Maia

Idosos sós, pobres, doentes
(...) Há muitos anos que as situações de pessoas idosas em situação de solidão e pobreza têm merecido das Instituições Particulares de...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Tréguas Olímpicas?
De repente, o mundo parece ter respirado de alívio. É que a ameaça de um conflito militar na península da Coreia, se não foi completamente afastada, diminuiu claramente...