SOLIDARIEDADE ONLINE

Recorde de 4,4 milhões de visitas em 2017

O site do jornal Solidariedade, (www.solidariedade.pt), no ano de 2017, registou perto de 4,4 milhões de visitas, um crescimento de quase de 20 por cento em relação ao número de vistas do ano anterior (3.730.320).
A tendência de subida do número de visitas revela uma consistência durante todo o ano de 2017, apresentando o valor mais elevado no mês de Dezembro, tendo atingido um recorde de 540 mil acessos.
As consultas a www.solidariedade.pt apresentam uma média diária de 12 mil acessos. Os dias de maior tráfego têm coincidido com as situações mais apelativas do ponto de vista mediático. Assim, quando se olha para o registo dos assuntos que maior atenção mereceram por parte dos que procuram a informação do site do jornal Solidariedade verifica-se que o artigo com mais leituras (15.000) em 2017, foi o Editorial de fevereiro, do padre Lino Maia, presidente da CNIS, intitulado "Acolhimento de crianças e jovens". Em segundo lugar um tema, também de fevereiro, que importava diretamente aos trabalhadores das Instituições: "Terça-feira é feriado nas IPSS" foi um artigo lido por cerca de 11 mil pessoas. Na terceira posição, um tema recente, de dezembro, que concitou muito interesse por parte dos leitores do Solidariedade online: "Direção emite comunicado sobre IPSS Raríssimas".
Confirma-se desta maneira que o ranking das matérias informativas mais procuradas revela um interesse superior no que pode afetar o funcionamento das instituições e a situação de utentes e funcionários, o que nos permite pensar que muito do público-alvo do www.solidariedade.pt é constituído por pessoas relacionadas com o setor social solidário.
A estratégia de aposta no formato online teve início em Maio de 2014, por ocasião do décimo aniversário da segunda fase do projeto do orgão de comunicação social da CNIS. Em 2014 o site registou cerca de 1 milhão e 600 mil visitas; em 2015 subiu para 3, 4 milhões; em 2016 alcançou a marca de 3,7 milhões; e em 2017 atingiu o recorde de 4,4 milhões de visitas.
Este reforço da visibilidade das realidades do setor social solidário tem também que ver com a conjunção que tem sido feita nas redes sociais, designadamente no facebook, onde são replicadas as matérias do site.
Outro dado a ter em consideração é o facto de continuar a haver um aumento daqueles que se registam no próprio site para receberem a newsletter do Solidariedade. São perto de 10 mil as pessoas que colocaram voluntariamente os dados pessoais no formulário de registo.
Resta dizer que para além deste sinal de reconhecimento do trabalho que está a ser desenvolvido pela redação nos conteúdos da internet, temos a noção de que o jornal no formato clássico, que chega a 5 mil pessoas e instituições de todo o país, continua a ser um veículo insubstituível na divulgação das boas práticas das IPSS, da dedicação dos dirigentes e funcionários, na inovação e empreendedorismo social, na revelação das pessoas que fazem com que as políticas sociais sejam uma realidade dinâmica e eficientes para o quotidiano de muitos milhares de cidadãos que precisam de ajuda. 

 

Data de introdução: 2018-01-05



















editorial

CASAS DO POVO

1. As Casas do Povo foram criadas no regime do "Estado Novo" pelo Decreto-Lei n.º 23 051, de 23 de setembro de 1933, como peça chave da organização corporativa do trabalho rural. Funcionavam como organismos de...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Democracia à prova!
Portugal vai confrontar-se, a curto prazo, com um conjunto de testes à sua forma de organização como sociedade democrática!

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Comércio Internacional: a outra guerra
Parece que o mundo ultrapassou recentemente mais uma crise ameaçadora para a Paz no mundo. Falamos, claro está, da surpreendente aproximação entre a Coreia do Norte e os Estados...