COIMBRA/LEIRIA

IPSS mobilizam-se no apoio às vítimas do incêndio

A tragédia que assolou Portugal nos últimos dias convocou, desde a primeira hora, a ação das IPSS e são já diversas as iniciativas solidárias em prol das populações de Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos e Góis, fustigadas severamente pelo fogo que tudo queimou e muitas vidas levou e feriu para todo o sempre.
Logo no domingo, o presidente da CNIS, padre Lino Maia, deslocou-se a Pedrógão Grande, onde, juntamente com outras entidades oficiais, deu conta da disponibilidade das instituições associadas em ajudar a atenuar as implicações do incêndio que lavrava desde a véspera e já havia ceifado dezenas de vidas.
Para coordenar a ajuda das IPSS, estão no terreno as Uniões Distritais de Leiria e de Coimbra, distritos mais afetados pela tragédia que no dia 17 deflagrou em Pedrógão Grande.
Desde já a União das IPSS do Distrito de Coimbra (UIPSSDC) criou uma conta solidária a favor das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra.
Em missiva dirigida a todas as instituições associadas, o presidente da UIPSSDC, Horácio Santiago, “apela a todas as IPSS do distrito de Coimbra e à comunidade, em geral, que encaminhe os respetivos donativos” para a conta «Solidários com Pedrógão Grande - UIPSS Coimbra», cujo número é: NIB - 0036 0414 99106007688 48; IBAN - PT50 0036 0414 99106007688 48.
“Os montantes angariados serão encaminhados diretamente para as vítimas desta trágica. A UIPSSD de Coimbra e o Montepio Geral engrossarão este movimento solidário com os seus próprios donativos”, pode ler-se na carta.
Por outro lado, a União Distrital disponibiliza-se para receber outro tipo de donativos, que poderão ser entregues todos os dias, entre as 14h00 e as 17h30, na rua João Machado, Nº100 – sala 104, em Coimbra.
A fechar a missiva: “Gratos pela vossa generosidade. Hoje por eles amanhã por nós”.

LEIRIA MOBILIZADA

Por seu turno, a UDIPSS Leiria fez saber junto das suas associadas que o Montepio Geral, com a qual tem um protocolo de cooperação, está a desenvolver ações concretas de apoio a instituições e famílias no contexto da tragédia que assolou o norte do distrito.
“Estamos disponíveis para estabelecer as «pontes» necessárias à efetivação desta ação, fazendo chegar junto da instituição bancária qualquer solicitação, de qualquer natureza, da parte das nossas associadas”, lê-se no texto enviado às instituições do distrito de Leiria associadas da UDIPSS.
União Distrital de Leiria tem feito ainda chegar às suas associadas as necessidades das populações afetadas pelos fogos e que são: fraldas de adulto, rações para animais (gado e animais de companhia), material de primeiros socorros e medicamentos (nomeadamente, toalhetes; gaze gorda; Biafine; Inadine; Bepathene Plus; produtos de higiene oral, como elixires e produtos para cuidado de próteses; produtos de higiene; sistemas de soro; Bepanthene gotas oftálmicas; pomadas para assaduras; soro fisiológico (embalagens grandes); água oxigenada; tesouras; máscaras naso-bocais; Ben-u-ron; ibuprofeno).
A UDIPSS Leiria avisa ainda que já não é necessário qualquer tipo de roupa e que os produtos podem ser entregues, entre as 9h30 e as 13h00 e entre as 14h30 e as 18h30, na Cáritas Diocesana Leiria-Fátima.
Esta instituição, que é quem tem coordenado a ação no terreno, já enviou para Pedrógão Grande 1.500 peças de roupa, entre atoalhados, lençóis, roupa de criança e adulto e calçado. Foram ainda entregues aos bombeiros no terreno 20 colchões tripartidos.
Para apoio imediato às primeiras necessidades que afetam as populações, a Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima irá disponibilizar 10.000 euros.
Por outro lado, a Cáritas Diocesana de Coimbra tem mais de 50 pessoas destacadas para apoiar os concelhos afetados pelos incêndios no distrito de Coimbra, alguns no local desde domingo a receber e distribuir todo o tipo de bens, materiais e equipamentos de primeira necessidade, essenciais para as pessoas que ficaram desalojadas.
Também esta instituição criou uma conta solidária: «Cáritas Coimbra - Incêndios 2017» - PT50 0018 000344379659020 66.

ÉVORA JUNTA-SE NA AJUDA

Mais a sul no mapa a solidariedade também se faz sentir, com a Cáritas Arquidiocesana de Évora a mobilizar todos os agentes sociais.
Dando expressão às orientações da Cáritas Portuguesa, a Cáritas Arquidiocesana de Évora encontra-se, desde segunda-feira, a promover uma mega operação de solidariedade que abrange todo território arquidiocesano e cujo propósito é o de fazer chegar, até ao próximo dia 26, cobertores (de Verão), lençóis e roupa de criança para serem entregues às vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.
Neste sentido, foram constituídos pontos de recolha nas várias paróquias que terão como missão reunir, até sexta-feira (dia 23), todos os bens doados pelas comunidades locais.
Para saber qual o ponto de recolha situado mais próximo da sua residência, os interessados deverão contactar a Cáritas através do número de telefone 266 739 890.
Desde a primeira hora a tentar mobilizar os agentes sociais de todo o País e a sua rede de instituições, a Cáritas Portuguesa abriu uma conta solidária para apoiar todas as vítimas dos incêndios: «Conta Cáritas» (Caixa Geral de Depósitos): NIB - 0001 200000 730; IBAN – PT 50 0035 0001 00200000 730 54.
Para esta conta, a Cáritas Portuguesa disponibilizou uma verba de 200 mil euros, a Cáritas Diocesana de Coimbra 100.000 euros e a Cáritas Diocesana de Viana do Castelo 5.000 euros.
Recorde-se que os fogos que hoje foram dominados e que lavraram desde sábado à tarde fizeram 64 mortos, 254 feridos e queimaram cerca de 30 mil hectares de floresta.

(Fotografias com Direitos Reservados)

 

Data de introdução: 2017-06-22



















editorial

Gestão de negócio e Desenvolvimento Local

No entender da CNIS, seria possível, e desejável, aproveitar a rede capilar de Instituições de Solidariedade para assegurar, com financiamento próprio, a manutenção de alguns desses bens e serviços de interesse...

inquérito

O Orçamento de Estado para 2018 é favorável ou prejudicial ao funcionamento das IPSS?

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

"Ó Pátria sente-se a voz..."
O nobre povo, que somos nós, após anos de troika e duras medidas de austeridade, começava a celebrar boas notícias de milhares de novos empregos que se têm criado, de...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Uma promessa esquecida
No passado dia um de Outubro, realizou-se o referendo sobre a independência da Catalunha. A consulta, que provocou uma grande expectativa mediática, traduziu-se num resultado...