XI FESTA DA SOLIDARIEDADE - MADEIRA

Machico acolheu a flama solidária com grande entusiasmo

E ao segundo dia, a Chama da Solidariedade visitou quase todo Machico, passando por Maroços, Ribeira de Machico, Porto da Cruz, Caniçal e ainda a cidade sede de concelho.
Manhã cedo, a tocha solidária chegou à Santa Casa da Misericórdia de Machico, instituição que organizou, em parceria com várias instituições locais, e coordenou a digressão pelo concelho da zona Este da ilha da Madeira.
Apesar de ser domingo foram muitas as pessoas das mais diversas instituições que se juntaram à festa, tendo a Chama sido recebida com grande entusiasmo em todos os locais previstos.
Da Misericórdia de Machico, a flama solidária rumou a Maroços, onde, junto ao Centro Social e Paroquial das Preces, um grupo de petizes da escola EB1/PE local e elementos do Grupo DMDC – De Mãos Dadas Contigo a receberam, tendo o facho solidário iluminado o final da eucaristia dominical, abrilhantada ainda por algumas canções alusivas ao momento pelo Grupo DMDC.
A caravana solidária seguiu, então, para a Ribeira de Machico, onde as crianças da EB1/PE/Creche de Santo António da Serra acolheram a Chama com grande entusiasmo, no largo da igreja, interpretando ainda algumas canções. Destaque para a música «Bicho de Pêssego», que alcançou o segundo lugar no festival «Vozes em Flor».
Da Ribeira de Machico, a Chama da Solidariedade prosseguiu para o Porto da Cruz. Junto ao lar de idosos da instituição Causa Social, o archote solidário era esperado por um vasto grupo de seniores, que celebraram o momento com o lançamento de balões brancos.
Aliás, o branco tem sido a cor da 10ª digressão da Chama da Solidariedade, que até ao dia 2 de junho percorrerá os demais concelhos da Região Autónoma da Madeira.
Depois foi tempo de descer até à beira-mar no Caniçal. Aí, a Chama teve uma das melhores receções até ao momento, com um numeroso grupo de crianças, também elas em tom alvo vestidas e de flor na mão, a saudarem a sua chegada.
No largo da Igreja Velha, os mais pequenos, alunos da EB1/PE/Creche, declamaram um poema alusivo à solidariedade e interpretaram duas canções que evocam alguns dos valores que norteiam o movimento solidário: o Hino da Solidariedade e ainda «Imagine», de John Lennon, tema que pode ser considerado um hino à paz. Foi um momento de grande participação, pois, para além dos petizes, muitos populares se juntaram à festa.
De regresso à sede de concelho, uma vasta massa humana reuniu-se no Jardim da Graça, rumando em desfile pedonal até ao Forte de Nossa Senhora do Amparo.
A encabeçar o desfile as entidades oficiais foram-se revezando no transporte da Chama da Solidariedade, acompanhados por grupos musicais, escuteiros e diversos representantes e utentes de IPSS e escolas da cidade.
Junto ao Forte foi tempo de discursos institucionais e de alguma pedagogia sobre o que é a solidariedade e o movimento solidário que tanta gente movimenta por todo o País.
Por fim, a flama solidária regressou o ponto de partida, a Misericórdia de Machico, onde ao final da tarde foi rezada uma missa em honra da Chama da Solidariedade.
Segunda-feira, mais dois concelhos serão tocados pela Chama que celebra o espírito solidário dos Portugueses.

 

Data de introdução: 2017-05-28



















editorial

Pela erradicação da pobreza

Outubro está associado à "Erradicação da Pobreza". Pela primeira vez em 1992, a data (dia 17) foi comemorada oficialmente com o objetivo de alertar a população para a necessidade de defender um direito básico do ser...

Não há inqueritos válidos.

opinião

António José da Silva

O fascínio do poder
O poder, seja este de que tipo for, exerce sempre algum fascínio sobre a maior parte dos homens, e entre os diversos tipos de poder que exercem maior fascínio, está certamente o poder...

opinião

Padre José Maia

Outubro: mês social
A circunstância de, no mês de outubro, se evocarem o Dia do Idoso (dia 1) e o Dia da erradicação da Pobreza (dia 17), inspirou-me a partilha com os leitores de SOLIDARIEDADE de...