ANIVERSÁRIO SOLIDÁRIO

Recolha de bens para refugiados no 102º aniversário do Theatro Circo

«Antes que Matem os Elefantes» é o espetáculo da Companhia Olga Roriz que o Theatro Circo, em Braga, escolheu para apresentar na noite em que completa 102 anos e que dá o enquadramento para a ação solidária que marca as celebrações deste aniversário.
Assim, 50% da receita do espetáculo que o Theatro Circo acolhe na noite do dia 21 de abril (21h30) reverte a favor da Unicef, mais concretamente do programa desenvolvido em prol das crianças da Síria.
Para além desta ação direcionada para a intervenção humanitária na Síria, o Aniversário Solidário do Theatro Circo materializa-se ainda na recolha de bens de primeira necessidade para as famílias refugiadas da guerra da Síria residentes em Braga.
Constituindo um alerta para uma reflexão coletiva sobre o conflito sírio e para o drama dos refugiados, «Antes que matem os elefantes» traz para palco um cenário de guerra no qual sete bailarinos encarnam o sofrimento que aquele conflito representa na vida de todo um país.
A abrir o espetáculo, os depoimentos de crianças, na sua maior parte, residentes em Alepo (Síria) foram a opção da coreógrafa para posicionar este trabalho.
“As crianças que aparecem no vídeo introdutório passam fome, algumas ficaram órfãs, perderam irmãos, familiares, estão perturbadas e as vozes e as palavras constituem um alerta para o público”, explica Olga Roriz.
Quanto ao cenário escolhido, a coreógrafa diz que o apartamento destruído que recria em palco “poderia ser simbolicamente o conflito interno das pessoas, ou uma guerra em qualquer lugar, mas é sobre a Síria onde o conflito continua a provocar fome, violência, morte e a lançar o país no caos”.
Sobre o enquadramento solidário deste 102º aniversário e a abordagem de um tema pouco festivo em momento de celebração, a administração do Theatro Circo destaca o papel da cultura enquanto difusor de conhecimento e promotor de reflexão crítica e recorda ainda que a promoção do entendimento intercultural e da integração é uma das diretivas da estratégia europeia para a cultura.
“O Theatro Circo tem obrigação de colocar em prática esta missão da atividade cultural e de fazer refletir na sua programação o contexto global que condiciona a vida de todos nós, olhando também para o que acontece na comunidade em que se integra”, explica Cláudia Leite.
“Por esta razão, aproveitando uma circunstância em que o Theatro Circo tem especial visibilidade, fez-nos sentido dar ênfase a esta função menos visível da atividade cultural e amplificar o alerta que a Companhia Olga Roriz lança no espetáculo «Antes que matem os elefantes», ajudando os refugiados que a cidade acolhe com a promoção de uma recolha de bens e contribuindo para o programa humanitário que a Unicef leva a cabo neste contexto”, justifica a administradora.
Assim, dia 21 de Abril, com início marcado para as 21h30, «Antes que matem os elefantes» para não deixar cair o povo sírio no esquecimento e para ajudar aqueles que fogem à morte certa.

(Fotos de Paulo Pimenta e Susana Neves)

 

Data de introdução: 2017-03-30



















editorial

MANTER E APROFUNDAR A INTERVENÇÃO DAS IPSS (por João Carlos Dias)

Depois do importante papel que desempenharam, decisivo para suportar as consequências da grave crise que vivemos e ainda sem tempo de recuperar do esforço despendido, as IPSS são confrontadas com novos desafios que não escolheram, mas que terão...

inquérito

O Orçamento de Estado para 2017 é favorável ou prejudicial ao funcionamento das IPSS?

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Não há idade para trabalhar
Ora cá está uma boa notícia, que não tem de meter política, daquela política politiqueira: a idade não é obstáculo para encontrar trabalho!As...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Carros e camiões: a nova arma do terrorismo
O recente atentado de Westminster veio confirmar a impossibilidade, de uma vitória definitiva no combate ao terrorismo. Os grandes responsáveis pela política mundial não se...