MENSAGEM DO PRESIDENTE

Com alegria, na organização solidária

A promoção solidária é uma entrega e uma dádiva de tempo de vida, na base de uma dinâmica própria, que leva à concretização de múltiplas acções, na sua grande maioria com resultados concretos e palpáveis na melhoria das condições de vida de muitos e muitos concidadãos.
A promoção solidária vive-se numa entrega voluntária a sensibilidades, a capacidades e a ideias e desenvolve-se na ciência do intuir necessidades, projectar respostas, realizar propósitos e sonhos…
A promoção solidária reflecte-se, também, na expressão de um tempo e de uma prática de inegável virtude: de saber crer, saber querer, saber fazer. Essa ciência’virtude de saber crer, saber querer e saber fazer assenta numa cultura, ou numa forma de estar na vida, em que se vão desenvolvendo valores como os da fé, da vontade, da justiça, da verdade, da persistência, da teimosia…
São estes valores e estes saberes – valores e saberes de natureza e de virtude – que moldam os agentes da promoção solidária particularmente, dos seus voluntários e dinâmicos dirigentes.
São valores e saberes que se apoiam numa prática desenvolvida ao longo de décadas, com postura perante a vida, perante as pessoas, perante os problemas e perante os dramas sociais, solidificando-se, desenvolvendo-se e adaptando-se às realidades, às necessidades e às vicissitudes de cada época.
Cada dirigente solidário e cada instituição particular de solidariedade social (IPSS) tem a sua história própria, individualizada das demais, porque é uma história caldeada de acordo com as circunstâncias em que se desenvolve, dos desafios que ousa enfrentar e dos padrões culturais das terras que as quiseram e as querem como suas a que se responde com a tal ciência’virtude’cultura de saber crer, de saber querer, de saber fazer e com acentuados graus de liberdade para que a capacidade imaginativa e criadora floresça e permanentemente se desenvolva…
É neste espaço de ciência’ virtude’cultura, neste mundo de valores e saberes que estão milhares de dirigentes de muitas e muitas instituições particulares de solidariedade social, numa verdadeira comunhão dinâmica.
A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) é a expressão organizada dessa comunhão. Para a representar e para lhe abrir novos espaços de navegação dinâmica.

Com alegria na CNIS. Convosco e em muito boa companhia. Com determinação e esperança. Em comunhão dinâmica….

O Presidente da CNIS
Lino Maia

 

Data de introdução: 2016-11-29



















editorial

ESTADO E PROTECÇÃO SOCIAL

(...) Estas organizações estão protegidas pelo número 5 do artigo 63º da Constituição da República Portuguesa, que reconhece a  sua existência, enquadrando, então, as Instituições Particulares...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Mais proximidade e mais horizontalidade nas políticas sociais
Seguramente que em Portugal as realidades sociais são distintas, por exemplo, entre as regiões do interior, mais rurais, de outras, como os grandes centros urbanos e as suas periferias.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

O peso da História
A História pesa sempre na construção da identidade de um país. Em alguns casos, ela é mesmo invocada como factor decisivo na definição da consciência...