PADRE JOSÉ MAIA

Uma pipa de massa

Em tempo de vacas magras e após três anos de sofrimento pela aplicação de medidas de austeridade que empobreceram milhões de pessoas, despediram centenas de milhares de trabalhadores, levaram à falência milhares de empresas, retiraram e/ou diminuíram drasticamente a muitos milhares de idosos o seu CSI e, sem dó nem piedade, privaram imensas famílias, em situação de grande carência financeira, dos mais elementares direitos de proteção social, eis que chega uma “boa notícia”: Portugal vai receber 26 mil milhões de euros da União Europeia, uma autêntica “pipa de massa”, no dizer de Durão Barroso!

É caso para dizer que, “após a tempestade, chegou alguma bonança”!

É-nos dito e redito que, desta vez, todo este dinheiro irá para onde deve ir, sem desvios manhosos e avultados para bolsos particulares. É bom, necessário, imprescindível que assim seja. Será desta que o “desenvolvimento económico e social” poderá contar com estas verbas que a solidariedade europeia nos vai fazer chegar? As “aves de rapina” do costume irão tentar abotoar-se com lautas percentagens, a título de pagamento por desproporcionadas “margens de engorda” a que sempre estiveram habituadas, indiferentes à condenável falta de ética que isso representa.

Acabados os tempos das “piscinas aquecidas”, das “rotundas” em tudo quanto é sítio e de outras “obras faraónicas”, feitas apenas para que empresas do sistema pudessem faturar, é legítimo acreditar que, desta vez, estejamos todos de sentinela, através de uma atenta monitorização, a esta “pipa de massa”, evitando que vá cair em “bolsos privados sem fundo”! Felizmente que, pelo que se sabe, a CNIS e outras Instituições, que lutam pela SOLIDARIEDADE, irão ter uma palavra a dizer nesta “partilha de fundos comunitários”. Valha-nos isto! Não podem falhar!

P.de José Maia

 

Data de introdução: 2014-08-08



















editorial

Confiança e resiliência

(...) Além disso, há um Estado que muito exige das Instituições e facilmente se demite das suas obrigações. Um Estado Social não pode transferir responsabilidades para as Instituições e lavar as mãos quanto...

Não há inqueritos válidos.

opinião

José Leirião

A necessidade de um salário mínimo decente
Os salários, incluindo os salários mínimos são um elemento muito importante da economia social de mercado praticada na União Europeia. Importantes disparidades permanecem...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Muitos milhões de euros a caminho
O País tem andado a ouvir todo um conjunto de ideias com vista a serem aproveitados os muitos milhões de euros provenientes da Europa. Sobre o que é preciso fazer as coisas parecem...